Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Sexta-feira, 20 de abril de 2018

16/04/2018 - 14h05min

Daniel Andriotti

Compartilhar no Facebook

enviar email

Queda de Braço

Quando Cabral e suas caravelas – todas à deriva – atracaram em Porto Seguro, teria comentado com um assessor enquanto olhava para a costa: “esse é um país de muitas caras”. Nisso, veio um índio na sua direção vestindo apenas um jaleco escrito nas costas: guardador autorizado. “Tá bem guardado, doutor!!!”, teria dito o indígena poliglota.

De forma ampla e irrestrita, quero falar de dois Brasi’s: um é o Brasil do governo. O Brasil político. Rico. O Brasil do terno, gravata e colarinho branco. O Brasil de Brasília. Dos carros pretos, dirigidos por motoristas que vestem ternos pretos. O Brasil dos carpetes verdes e azuis dos gabinetes ministeriais. Dos ascensoristas que de terças a quintas-feiras, recebem R$ 30 mil por mês. Esse Brasil é o cafajeste, o incompetente, o corrupto, o desleixado, fraudador, picareta, corrupto, ilícito, egoísta, traidor, dissimulado. O Brasil-governo é criminoso. É o Brasil do crime organizado amparado pelo maior cartel de leis ineficientes do mundo. É o Brasil da falcatrua. Da orgia financeira com o dinheiro que entra fácil e por isso escorre pelo ralo sem nenhum controle. É o Brasil do faz de conta. É o país onde os últimos cinco Presidentes da República estão sob suspeita, sendo um condenado; e dois extirpados do poder por impeachment. É o país onde mais da metade do Congresso está sendo investigada...

O outro Brasil é o nosso. O patriota. O da sociedade. O Brasil pobre, do mico. O Brasil que trabalha, que acorda cedo e rala muito. E que sofre nas torturas provocadas pelo seu sócio Brasil-governo. É o nosso Brasil que paga a conta de tudo. Sim, porque metade de tudo o que ganhamos vai sem dó nem piedade para o Brasil que está no palco. E que, por sua vez, não devolve absolutamente nada em troca. O nosso, é o Brasil do ônibus sujo, lotado e caro. É o Brasil da fila que não anda. Da obra pública que custou 10 vezes mais do que o seu custo real, já está paga mas nem sequer foi iniciada. O nosso é o Brasil do esgoto a céu aberto. Do hospital sem maca, com doentes demais e médicos de menos. Da escola sem giz, sem merenda, mas com um professor voluntário: esforçado, desmotivado e com salário parcelado. Assim como voluntários são os nossos policiais. O Brasil-chinelo é o do bandido impune – classificado pela esquerdopatia cínica como um ‘excluído pelo sistema capitalista e opressor’ – que atira à queima roupa na vítima que demorou meio segundo para lhe alcançar um celular, um boné, um tênis...

Duro é saber que o Brasil imaginário – que é bem menor que o outro – está vencendo a queda de braço contra o Brasil real: tem soda cáustica no leite. Celular sem sinal e rede 4G que não funciona mas é a mais cara do mundo. Tem medicamento genérico sem controle de qualidade, bomba de gasolina fraudada, cartão de crédito clonado...

E agora, aquela velha utopia que poderia nos guiar atrás de um Brasil melhor e verdadeiro está brincando de cabo de guerra: estamos nos acusando de imbecis, uns aos outros, pelo simples fato de que não gostamos dos mesmos bandidos, apelidados de corruptos pelo modelo hipócrita do “politicamente correto!!!”. O seu bandido tem que ser preso. O meu não...

Recordar é viver: no último domingo de abril, dia 29, acontece o segundo encontro de ex-funcionários da saudosa Companhia de Papel e Papelão Pedras Brancas, hoje Santher (que vai ceder o seu Galpão Nativista para tal ‘recuerdo’, lá na vila Passo Fundo, extremo sul de Guaíba, onde nasci e me criei).

Pois então: para quem outrora trabalhou na Pedras Brancas, a churrascada será ao meio dia. No entanto, os organizadores já estarão no local para o ‘mate do reencontro’ a partir das 10 da manhã. Como serão apenas 150 convites a R$ 25 pila e as vendas vão somente até o dia 20, não seja um brasileiro deixando para a última hora. Ligue ‘djá’: 99633-3195 ou 99849.7649 e reserve o seu.



Daniel Andriotti

[email protected]

Publicado em 14/4/2018.

Últimas Notícias

Na terça, 10, Super Paulinho, em Guaíba, foi interditado e os proprietários presos, acusados de crime contra o consumidor.

O STF indeferiu o habeas corpus ao ex-presidente Lula por 6 votos a 5. Com isso, Lula poderá ser preso.

Nesta quarta, 28, Polícia Civil recolhe documentos no Gabinete do presidente do Legislativo de Guaíba.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2018 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados