Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

16/12/2019 - 14h28min

Polícia

Polícia prende 25 suspeitos envolvidos no caso do ônibus incendiado em Guaíba

Compartilhar no Facebook

A Polícia Civil está investigando o incêndio criminoso que aconteceu no dia 14 de outubro deste ano, no acesso da Vila IPE, área central de Guaíba. De acordo com a delegada Karoline Calegari, conforme a Gazeta Centro-Sul antecipou na sua edição do dia 7 de dezembro, a ação desarticulou uma organização criminosa que atuava no Município.

O ataque ao coletivo surpreendeu a comunidade local e causou grande preocupação. Dois indivíduos abordaram um ônibus da empresa Expresso Assur, um deles fazendo ameaças com arma de fogo, determinando que tripulantes e passageiros descessem, enquanto o outro, usando um galão com material inflamável, ateou fogo no coletivo.

Essa semana, a Polícia Civil enviou informações detalhadas sobre a investigação do caso, que iniciou imediatamente após o ataque. No curso do inquérito, foi apurado que o fato havia sido orquestrado por uma organização criminosa liderada por um criminoso atualmente recolhido, com antecedentes por homicídios e roubos, que não só comandava o tráfico de drogas na Vila IPE como também era o responsável por comandar assaltos, incluindo roubo de veículos na Região Metropolitana e outros crimes violentos.


O delito foi praticado em retaliação à atuação da Brigada Militar na Vila IPE, que, na véspera do fato, havia realizado prisões e apreensões de drogas e armas, enfraquecendo o bando.

Segundo a Polícia, a investigação demonstrou que a organização criminosa era escalonada, com divisão clara de tarefas. Dentro da sua estrutura, havia quem atuava como braço armado, os responsáveis pelo cometimento de crimes violentos, tais como roubos, homicídios e o controle na Vila, ameaçando e coagindo pessoas a auxiliarem de alguma forma o grupo criminoso. Eles expulsavam moradores de suas casas para usá-las como pontos de tráfico, dissipando (de forma violenta) conflitos na Vila para evitar a aproximação da Polícia no local, fazendo a segurança dos pontos de tráfico e até mesmo obrigando moradores a protestarem contra a atuação da Brigada Militar.

Da mesma maneira, o esquema criminoso contava com um grupo de traficantes, responsáveis pelo armazenamento, fracionamento e venda de drogas, sendo que o grupo estaria expandindo sua atuação para outros bairros de Guaíba.

Conforme relato da Polícia, a organização criminosa contava com apoiadores e auxiliares, responsáveis por guardar armas e outros materiais ilícitos, bem como para fornecer pouso, refeições e esconderijo para os integrantes do grupo, em especial para criminosos de outras cidades que vinham para Guaíba a mando do líder da facção para praticarem algum delito.

A Delegada Karoline destaca que, durante a investigação, um homicídio encomendado pelo líder da quadrilha foi impedido por atuação conjunta da Polícia Civil e da Brigada Militar.

A investigação levou dois meses e, até o presente momento, culminou com a prisão de 25 pessoas. Ao todo, após as investigações, foram expedidas 43 ordens judiciais, sendo que já foram cumpridas 18 prisões preventivas; seis prisões temporárias; uma apreensão de adolescente infrator; e 12 mandados de busca e apreensão.

Segundo a delegada, a qualidade da investigação desenvolvida, contando com a integração entre as polícias Civil e Militar no Município, e as posturas firmes do MP e do Poder Judiciário permitiram uma resposta contundente aos crimes praticados.

O diretor da 2ª Delegacia de Polícia Metropolitana (DPRM), delegado Regional Mario Souza, destacou que a resposta da Polícia Civil de Guaíba foi técnica, enérgica e eficiente contra o crime organizado.

Foto: Divulgação/PC

Publicado em 14/12/2019.


Últimas Notícias

Abacaxi derruba diretor municipal em Guaíba. Confira na Coluna impressa de Leandro André.

Guaíba. Motorista de aplicativo, Rafael da Silva, 31, desapareceu no dia 6. Seu carro foi encontrado queimado sábado, 8, no Mathias.

Público das tradicionais Festas de Iemanjá reduz bastante em Guaíba.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2020 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados