Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

25/11/2020 - 13h23min

Leandro André

Compartilhar no Facebook

enviar email

Eleição Dramática em Guaíba

Esta é uma coluna especial para ler com calma. Vamos lá!

O empresário Marcelo Maranata (PDT) venceu o Prefeito Sperotto (PTB) por 212 votos e foi eleito o novo chefe do Executivo Municipal. Esta pequena diferença diz tudo sobre o que foi a disputa na Aldeia. A contagem voto a voto e a lentidão do TRE para divulgar os resultados foi teste pra cardíaco entre os envolvidos.


Foi uma disputa entre duas grandes correntes da mesma vertente política, misturando prefeito, ex-prefeito, ex-vice-prefeito, secretários municipais, ex-secretários, diretores municipais e ex-diretores, vereadores e ex-vereadores, bem como cabos eleitorais que já transitaram dos dois lados. “Tudo junto separado”.



O que move a política

De fundo, atrás de slogans amorosos e frases de efeito, basicamente o jogo político-partidário é movido por cargos de confiança, os CCs suculentos, como recompensa aos cabos eleitorais, e as Funções Gratificadas, as FGs, para manter apoios na máquina. É claro que têm exceções na casa depois da vírgula.


Os que correm por fora, seguem por fora. Este sistema de toma-lá-dá-cá é nacional. Portanto, quando alerto para que não briguem com amigos e parentes por causa de política partidária, sei o que estou dizendo; acompanho este jogo há quase quarenta anos.



O Recado do Prefeito Eleito

Na manhã dessa quinta-feira, 19, Marcelo Maranata e Claudinha Jardim reuniram a Imprensa local para falar sobre as linhas de ação do novo governo; uma proposta teórica muito interessante (ver matéria nesta edição). Questionei a respeito da composição do novo secretariado e como farão para garantir a governança, tendo em vista que terão minoria na Câmara (o novo governo terá na base seis de 17 vereadores).


O Maranata se ajeitou na cadeira para anunciar, com voz firme e sem piscar, que somente irá contratar CCs e o primeiro escalão (secretários e diretores) no final de fevereiro, depois que tomar pé da situação financeira da Prefeitura. Opa! Anotei e sublinhei.


Ao responder a minha pergunta sobre governança com minoria no Legislativo, Maranata anunciou, em tom solene e pausado, para que ficasse bem claro: “Não vai ter toma-lá-dá-cá com a Câmara”. E acrescentou: “O Legislativo será livre para fazer suas escolhas e votar, sem qualquer interferência do Executivo”. A vereadora e vice-prefeita eleita assentiu. Me lembrei do Bolsonaro, que fez a mesma afirmação ao assumir a Presidência da República e depois se juntou com o Centrão. Vamos acompanhar para ver como vai ser aqui na Aldeia.



A Dança de Cortejo

A afirmação do Maranata de que nenhum CC e ninguém do primeiro e do segundo escalão será contratado até o fim de fevereiro vai gerar uma dramática dança de cortejo dos milhares de candidatos aos cargos nos próximos três meses. Neste período, pode ter briga de dedo no olho.



Os Novos Secretários

Mesmo que os novos secretários municipais entrem em campo somente em março, eu acionei a Tia Alaíde para tentar descobrir os nomes mais cotados, considerando a afirmação do Maranata de que o grupo será técnico.


O jornalista Fábio Araujo deverá assumir a Comunicação; a professora Eliane do Premem, que ficou apenas dois votos abaixo do Ale, é candidata a assumir a Educação; Alex Trindade, a Procuradoria-geral; Jorge Centeno, Obras; e Rosalvo, o Meio Ambiente. Na próxima semana, sigo com as conjecturas, com apoio da Tia Alaíde.



O Trabalho da Gazeta

Preciso destacar o trabalho de cobertura da campanha eleitoral feito pela Gazeta Centro-Sul. Além de informar o que realmente importa, o Jornal disponibilizou espaços iguais para todos os candidatos à Prefeitura de Guaíba se manifestarem sobre temas relevantes. De forma objetiva, todos tiveram a oportunidade de divulgar suas propostas.



Renovação na Câmara

A metade das cadeiras do Legislativo de Guaíba será renovada, com oito novos vereadores. O PT volta ao Parlamento. Novas bancadas: PSL e Republicanos (ver relação nesta edição).


Os veteranos Campeão (PTB) e Jonas Xavier (PL) não concorreram. Arilene, Everton da Academia e Fernanda Garcia, do PTB, não se elegeram.



Pesquisas do People

Há algumas semanas antes das eleições, eu fui procurado pelo Maranata, que desejava contratar o Instituto People para realizar pesquisa de avaliação de sua candidatura. Por uma questão de atraso na decisão da sua coordenação de campanha, não foi possível realizar o trabalho.


O People foi contratado pela coordenação do PTB para fazer pesquisa de avaliação interna da coligação. Os trabalhos apresentados mostraram a movimentação das intenções de voto durante a campanha. Há dois dias antes da eleição, o People apresentou ao coordenador de campanha do PTB, Pedro Tavares, o resultado da pesquisa final, que mostrou com exatidão o que aconteceria na votação: na mosca! Estamos comemorando mais um trabalho de excelência do People.



Pesquisa com financiamento sob suspeita

Faltando 14 dias para a votação, foi publicada uma pesquisa pela candidatura do PDT, cujo financiamento tornou-se suspeito. O registro no TRE consta que o levantamento foi pago pela própria empresa que fez o trabalho, empresa esta sem qualquer vínculo com o Município: de repente, veio a Guaíba para realizar a pesquisa, bancando com recursos próprios, e registrou na Justiça Eleitoral. “Casualmente”, a tal pesquisa serviu para desestimular o voto nos concorrentes da linha de oposição ao atual governo, considerando a possibilidade de atrair o voto útil. O PTB entrou com denúncia crime na Justiça.


Na quinta-feira, antes da coletiva de Imprensa, questionei o Alex Trindade, coordenador da campanha Maranata e Claudinha, sobre isso. O Alex me disse que constou no registro do TRE que o pagamento foi feito pela própria empresa por uma questão de tempo, considerando que, por estratégia, o registro precisava ser feito dentro do prazo para publicar a pesquisa há duas semanas das eleições. Mas, segundo o coordenador, na verdade, a pesquisa foi paga pela coordenação de campanha da coligação e as alegações já foram encaminhadas à Justiça.


Eu confesso que não entendi a explicação do Alex Trindade, mas quem tem de entender e aceitar é a Justiça Eleitoral.



Termômetro de Credibilidade

Analisando os resultados da votação, fica claro o que venho abordando há bastante tempo: gente que faz barulho e desrespeita as pessoas por meio de redes sociais não têm credibilidade junto à sociedade.



A Derrota do Sperotto

A derrota do Sperotto passa por duas questões decisivas e ignoradas pelo prefeito.


Primeiro teve um diálogo muito ruim com o PTB (desprezou a ala ligada a Henrique Tavares), o que foi um erro fatal. Só para citar um exemplo, em relação ao Hospital, não admitiu qualquer participação do ex-prefeito, que fez 70% de todo trabalho. Sequer convidou Henrique Tavares para a inauguração. O diálogo foi ruim também com os partidos da base aliada. Sperotto navegou na autossuficiência e em política isso não funciona. O segundo ponto decisivo para a derrota foi a cola na secretária de Educação, que tem rejeição importante na categoria. O prefeito não entendeu que a sua atitude de manter a secretária era um furo no barco.


Abordei aqui na Coluna sobre estas duas questões que citei acima, mas o Prefeito Sperotto não lê jornais.



Coligação Desarticulada

A Coligação do Sperotto se mostrou desarticulada. O candidato a prefeito somou 18.295 votos e os candidatos a vereador(a) mais as legendas dos partidos coligados chegaram a 25.436, ou seja, 7.141 eleitores que votaram na proporcional e não votaram no Sperotto.


Já com o Maranata foi o contrário: somou 18.507 votos e os candidatos a vereador(a) mais as legendas da coligação somaram 16.628 votos.



Governo Sperotto

Discordo de quem afirma que o Governo Sperotto foi um desastre, não foi. Pode ter sido decepcionante por conta do título de arquiteto urbanista, ratificado com tanta ênfase, levando a população esperar mais.


Teve pontos positivos no governo, como aproveitar a pandemia para inaugurar o Hospital, com a promessa do governador de mantê-lo após a pandemia. A implantação de ecopontos que mudaram para melhor a limpeza da Cidade, a revitalização da Beira e o início das obras das duas perimetrais, entre outras ações. Além disso, apesar dos resultados negativos da pandemia, Sperotto termina seu mandato pagando os servidores e os fornecedores em dia.


De negativo, o prefeito custou a se rebelar contra as obras mal-acabadas da Corsan e com o relaxamento da CEEE e empresas de telefonia. O ponto mais crítico foi a degradação das ruas e calçadas. Trata-se de malha viária antiga, mas já passou a hora de apontar isso como desculpa.



A Comemoração

Foi tímida a comemoração do pessoal do Maranata nas ruas depois do resultado. Entre os vídeos da festa no Comitê, que circularam na internet, uma cena em especial chamou a atenção de muita gente: um dos irmãos do Prefeito Sperotto aparece muito entusiasmado, muito. Cada um é livre para escolher em quem votar e ficar feliz com a vitória do seu candidato, mas o fato de tratar-se de um irmão do prefeito derrotado impactou. Por que será tanta felicidade com a derrota do irmão?



Votação Destaque

A votação do professor Bruno Silveira (PSOL) foi o grande destaque destas eleições municipais na Aldeia. Ele fez 794 votos, acima de 11 vereadores eleitos; 374 votos a mais do que o último a entrar, Rosalvo, do DEM. Só não se elegeu por causa do quociente eleitoral, que na minha opinião não deveria existir.




Leandro André

[email protected]

Publicado em 20/11/20.

Últimas Notícias

Mais de 1400 estudantes deverão
Ler mais

Creche no Jardim dos Lagos
Ler mais

Entrevista com o Presidente do L
Ler mais

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2021 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados