Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Domingo, 21 de dezembro de 2014

29/04/2013 - 17h24min

Empresário que confessou assassinato está no Central

Compartilhar no Facebook

Eliezer Pinto Costa, 52 anos, que confessou matar Zélia Heloísa Dedeco Ximendes, 24 anos, e atirar o corpo da Ponte Saco da Alemoa, se entregou na DPRM de Canoas.

Corpo da vítima, de 24 anos, foi resgatado na manhã do sábado, 27, por mergulhadores do Corpo de Bombeiros da Capital.

Em menos de três dias, a Polícia Civil de Guaíba elucidou um crime passional que abalou a Região. O empresário Eliezer Pinto Costa, 52 anos, confessou ter matado acidentalmente a amante Zélia Heloísa Dedeco Ximendes, de 24 anos. Confessou, ainda, ter jogado o corpo da vítima no Delta do Jacuí, da ponte Saco da Alemoa, na BR-116, sentido Interior-Capital, na noite de quarta-feira, 24, por volta das 20 horas. O corpo foi encontrado por mergulhadores do Grupamento de Bombeiros da Capital na manhã do sábado, 27. De acordo com a Polícia, uma barra de ferro pesando cerca de dez quilos foi amarrada, com fios de luz, em Zélia.

Com o reconhecimento do corpo da jovem, foi decretada a prisão preventiva do suspeito. Ele se apresentou junto de um advogado no final da tarde de quinta-feira, 2, na 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (DPRM), em Canoas; em seguida, foi encaminhado ao Presídio Central, em Porto Alegre. A justificativa para ter se entregado em Canoas seria temer represálias de populares caso se apresentasse em Guaíba.

Como foi o caso

Familiares de Zélia registraram ocorrência de desaparecimento na DP de Guaíba na noite de quarta-feira, 24. Com isso, a equipe de investigações passou a trabalhar no caso; em um primeiro momento, como desaparecimento; na sequência, como homicídio qualificado.

Na quinta-feira, o chefe do Setor de Investigações da Polícia Civil, Leonardo Gardel, intimou Eliezer para ser ouvido, pois ele teria sido uma das últimas pessoas a ser vista com a vítima. No entanto, o empresário estaria em São Paulo, comparecendo na Delegacia somente na sexta-feira, 26.

Inicialmente, Eliezer não confessou o crime. Afirmou que tinha um relacionamento de alguns anos com a vítima; por um período, ficaram separados, mas há quatro anos estavam juntos. Segundo relato passado à Polícia, há cerca de dois meses vinham brigando, pois ele queria terminar a relação. Na quarta-feira, a vítima teria ido em uma das empresas de Eliezer, localizada no Centro de Guaíba, para conversarem. Saíram no carro do empresário, onde teria iniciado uma discussão. “Ele alegou que Zélia começou a agredi-lo e com isso se defendeu com uma “cotovelada”, e ela ficou desacordada”, contou Gardel.

Após confessar a agressão, o empresário teria dado versões controversas do caso, indicando supostamente um local errado em que teria abandonado o corpo, fazendo com que a Polícia realizasse buscas sem êxito durante a tarde de sexta-feira. Somente à noite, indicou a área correta em que abandonou o corpo, na Ponte Saco da Alemoa. As buscas comprovariam o fato na manhã do sábado, 27, com o resgate feito pelo Grupamento dos Bombeiros.

Corpo em Três Carros

Durante as investigações, foi apurado que a vítima levou a “cotovelada” em um dos carros do empresário, um Camaro; em seguida, ele teria voltado para uma de suas empresas e colocado Zélia no porta-malas de uma caminhonete. “Nosso Setor de Inteligência descobriu que ele transferiu novamente o corpo; desta vez, para um Gol, que havia pedido emprestado, deixando-o estacionado em frente ao Hospital Livramento por toda a quarta-feira”, salientou Gardel. Por volta das 20 horas, o homem teria levado o corpo da jovem para ser atirado da Ponte.

Os Envolvidos

Eliezer Pinto Costa tem a concessão de uma franquia de uma rede de lancherias, localizada na Rua São José, e duas empresas na Região.

Zélia Heloísa Dedeco Ximendes, que residia no Bairro Centro, em Guaíba, atualmente trabalhava como secretária em uma empresa de viagens na Capital.

O que diz a Delegada

Em entrevista à Gazeta Centro-Sul, a titular da DP de Guaíba, Sabrina Doris Teixeira, elogiou o trabalho da equipe de investigações que elucidou o caso em menos de três dias. “Estou muito satisfeita com minha equipe, que ficou totalmente mobilizada neste caso”, observou a Delegada.

De acordo com ela, nos próximos dias, familiares dos envolvidos serão ouvidos para que seja dado prosseguimento às investigações. “Ainda não temos a causa da morte e também estamos estudando a possibilidade de ter mais uma pessoa envolvida neste crime”, argumentou.

Segundo a Delegada Sabrina, durante quase todo o depoimento do empresário, na sexta-feira, ele negava autoria; além disso, teria passado informações erradas sobre o local onde estaria corpo, dificultando o trabalho de investigação. Naquele momento, não havia “corpo” para um pedido de prisão preventiva. “Precisávamos da materialidade do crime”, explicou a Delegada. Segundo ela, a investigação se deu de forma muito positiva, garantindo que o suspeito ficasse totalmente vinculado ao crime.

Durante entrevista, na segunda-feira, 29 de abril, ela acreditava que o suspeito iria se apresentar à Polícia em breve. “O fato dele estar foragido não impede que responda ao processo, que segue correndo normalmente; além disso, não descartamos a possibilidade de que ele venha a se apresentar nos próximos dias”, disse a Delegada Sabrina na ocasião. E sua previsão acabou se confirmando, com a apresentação de Eliezer no final da tarde de quinta-feira, 2, na DP de Canoas.

Se condenado por homicídio qualificado, o suspeito poderá pegar de 12 a 30 anos de prisão.

Pedido de Justiça e Ameaça

Na quarta-feira, 1º, manifestantes realizaram protesto em frente a residência de um dos familiares do acusado, pedindo justiça. Em uma das empresas, localizada na Rua São José, foi deixado um cartaz com os dizeres “Queremos Justiça” próximo da entrada.

Uma funcionária deste estabelecimento registrou ocorrência na DP de Guaíba, informando que recebeu uma ligação de um homem, que se identificou como suposto amigo da vítima, ameaçando colocar fogo no local. A lancheria permaneceu fechada durante toda a semana.

No Site da Gazeta

Lembrando que o fato foi divulgado no twitter @gazetacentrosul no final de semana, e já havia ampla cobertura no site www.gazetacentro-sul.com.br na tarde de segunda-feira, 29 de abril.

Foto: Divulgação/PC

Publicado em em 4/5/13.

Com prisão preventiva decretada, empresário se entregou na quinta-feira, 2

Corpo de Zélia Heloísa Dedeco Ximendes foi encontrado no sábado, 27


Últimas Notícias

Moradores da parte alta do Bairro Colina, em Guaíba, continuam sofrendo com faltas de água.

Coleta atrasada transforma a Rua São José, Centro de Guaíba, em lixão a céu aberto. O problema é recorrente e se agrava com ventos fortes.

Duas mortes no trânsito no final de semana em Guaíba. Confira na versão impressa.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2014 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados