Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Segunda-feira, 25 de maio de 2020

04/05/2020 - 11h14min

Polícia

Preso o último envolvido na execução de motorista de aplicativo em Guaíba

Compartilhar no Facebook

A Polícia Civil de Guaíba identificou e prendeu todos os envolvidos no homicídio do motorista de aplicativo Rafael do Nascimento da Silva, 31 anos, ocorrido em fevereiro deste ano.


No dia 24 de abril, foi desencadeada a Operação Cartada Final pela Polícia Civil, com apoio da Brigada Militar de Guaíba, resultando na prisão do quarto envolvido no crime. A prisão aconteceu no Bairro Santa Rita (Cohab).


Rafael desapareceu no dia 6 de fevereiro deste ano, após sair da casa de amigos dizendo que faria uma corrida para Canoas. Depois disso, ninguém mais teve contato com ele.


No curso das investigações, os policiais da DP de Guaíba, com apoio da Companhia Especial de Busca e Salvamento (CEBS) e utilizando retroescavadeira cedida pela Corsan, localizaram o corpo do motorista, 13 dias depois do desaparecimento, enterrado em uma cova profunda, às margens do Lago Guaíba, no Bairro IPE (foto).



Envolvimento com o Tráfico

Conforme apurado no inquérito policial já remetido à Justiça, o motorista foi morto por ordem de um dos líderes do tráfico no Município, de dentro do presídio. Segundo a Polícia, o prisioneiro seguia coordenando o narcotráfico no Bairro IPE, com ramificações no Bairro São Jorge.


A delegada Karoline Calegari, que presidiu as investigações, disse que o referido traficante atraiu a vítima para uma emboscada, pedindo que fizesse uma corrida para Canoas, a fim de buscar entorpecentes, sendo que, em troca, o motorista receberia parte da droga. Na sequência, ele buscou um adolescente, a mando do presidiário, para levá-lo até a Vila IPE. Ao chegarem no local, a vítima foi abordada por dois indivíduos, os quais, em conluio com o adolescente, algemaram e amarraram o motorista, conduzindo-o até o interior do mato, onde, posteriormente, o corpo foi encontrado.


De acordo com o que ficou demonstrado durante a investigação, a ideia inicial do chefe do tráfico era “dar um castigo” na vítima, porque estaria fazendo corrida para traficantes rivais e porque haveria consumido uma parte da droga, que teria obtido com o referido traficante para vender.


Conforme a Polícia, dois dos três indivíduos que acompanharam a vítima até o interior do mato também “ficaram de castigo”, junto com a vítima, por estarem recalcitrando em cumprir algumas determinações do chefe do bando. O castigo consistiu em ficarem no mato a noite inteira, incomunicáveis, próximos a uma cova profunda que havia sido previamente cavada. Apenas a vítima ficou amarrada, nas mãos e nos pés, e algemada.


No dia seguinte, por volta das 13 horas, portanto, depois de aproximadamente 12 horas “de castigo”, um dos envolvidos no crime retornou ao local e entregou a arma que portava ao adolescente, amordaçou e encapuzou o motorista, e mandou que o adolescente atirasse na vítima, ocasião em que o menor efetuou um disparo que atingiu o pescoço do motorista. O criminoso determinou que o adolescente decapitasse a vítima com uma faca, sendo que foi dado início à tentativa de decapitação, mas o jovem não conseguiu concluir. O corpo foi jogado na cova, carbonizado e enterrado.


No curso das investigações, já havia sido apreendido um fuzil utilizado pelos criminosos e já tinham sido presos os outros três envolvidos no crime, sendo que o líder do tráfico, já recolhido ao sistema prisional, agora também está preso por este crime.


A última parte da investigação, denominada “Cartada Final”, foi em operação conjunta entre as polícias Civil e Militar de Guaíba, na qual foi preso o último envolvido no crime, que vinha atuando como um soldado do tráfico e tem diversos antecedentes policiais (tráfico de drogas, homicídios e roubos, entre outros), conforme relato da Polícia Civil.


O referido indivíduo também foi indiciado por extorsão, já que vinha expulsando moradores humildes de suas residências para transformá-las em pontos de tráfico e em esconderijos na Vila IPE.


Durante a prisão, o criminoso tentou fugir, mas foi capturado. Ele portava uma pistola furtada da Polícia Civil, além de três carregadores e certa quantidade de drogas.


Também no curso desta operação, foi presa em flagrante, por tráfico e associação, uma mulher que estava auxiliando o foragido a se esconder. As investigações apuraram que ela tem envolvimento com a organização criminosa. E ainda foi apreendida, em flagrante, uma adolescente infratora associada à organização criminosa.


A delegada destacou que o mandante deste crime, além de chefiar o narcotráfico no Bairro IPE, já havia sido indiciado por ter comandado o incêndio ao coletivo da empresa Assur, no Bairro IPE, em outubro de 2019. O referido detento está recolhido desde 2013.


A delegada Karoline Calegari ressaltou que a investigação reuniu provas contundentes da participação de todos os indiciados e que a Delegacia de Polícia de Guaíba tem realizado um enfrentamento bastante significativo a delitos graves, com destaque ao tráfico de drogas e delitos contra a vida.




Operação “Não Matarás” prende assassinos

Policiais civis de Guaíba prenderam um indivíduo de 19 anos de idade, suspeito de participar do homicídio de um jovem ocorrido no dia 24 de março deste ano, no Bairro São Jorge.


Realizando diligências em pontos de tráfico de drogas na Vila IPE, os agentes surpreenderam o indivíduo, contra o qual já havia mandado de prisão preventiva expedido.


No curso da investigação, foi apurado que dois indivíduos receberam ordem para executar um rival do tráfico no Bairro São Jorge, porém, ao chegarem no local, por equívoco, executaram o irmão do alvo.


O indivíduo já havia sido preso por receptação, em razão de estar na posse de móveis subtraídos de idosa que foi expulsa da própria casa por traficantes, a fim de usarem seu imóvel para comércio de drogas.


O outro criminoso envolvido no referido homicídio já havia sido preso na semana passada.


“A Operação Não Matarás é mais uma ação da DP Guaíba em repressão a crimes de homicídios. Operações como estas serão intensificadas no Município, destacou a delegada Karoline Calegari.




Mulher que usava filhas no tráfico, em Guaíba, vai para a cadeia

Uma mulher de 45 anos foi presa por policiais civis da DP de Guaíba na quarta-feira, 29 de abril. Ela é acusada de armazenar cocaína e abastecer ponto de venda de drogas no Município.


Os agentes da Civil, que já haviam prendido a suspeita anteriormente pelo mesmo crime, flagraram o momento em que as crianças, filhas da investigada, com respectivamente 8 e 11 anos de idade, buscavam, em uma residência no Bairro São Jorge, uma mochila com 252 pinos de cocaína.


Na ação, uma equipe apreendeu a mochila, que estava na posse das meninas, enquanto outra equipe surpreendeu a mãe escondida numa esquina próxima, monitorando a ação das crianças. A mulher tentou fugir, mas foi presa. As crianças foram encaminhadas ao Conselho Tutelar. A indiciada, após ser autuada em flagrante, foi encaminhada ao presídio, ficando à disposição da Justiça.


“A Operação Anjos do Tráfico faz alusão ao fato de a investigada utilizar-se sistematicamente de crianças de tenra idade para o cometimento do delito, tentando despistar a atuação policial”, ressaltou a delegada Karoline Calegari.


A Polícia estima que a totalidade da droga tenha valor aproximado de três mil reais.




Armas e Munições no Bairro Santa Rita

A equipe da DP de Guaíba apreendeu na quarta-feira, 29, duas armas de fogo e munições em residência situada no Bairro Santa Rita, em Guaíba.


Em cumprimento a mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça, os agentes encontraram o armamento na casa do investigado, o qual responde, também, por violência doméstica contra mulher. O suspeito não estava em casa e responderá por posse irregular de arma de fogo.


A delegada Karoline Calegari disse que a Polícia Civil de Guaíba tem “oferecido respostas enérgicas à criminalidade” e que “os positivos resultados obtidos são consequência da qualidade técnica e operacional da equipe da DP local”.




Traficante é preso ostentando arma em via pública

Policiais militares da Força Tática do 31º Batalhão de Polícia Militar (31º BPM) prenderam um homem por tráfico de drogas e porte ilegal de arma em Guaíba. A ação aconteceu no dia 24 de abril.


A guarnição recebeu uma denúncia de que havia homens ostentando armas de fogo em via pública na Vila Nova Guaíba. Ao chegarem no local, os policiais avistaram o homem e realizaram a abordagem.


Com ele foi apreendida uma pistola calibre .9mm com munições e carregadores, munições de calibre .38 e .32, oito tijolos de maconha, porções de cocaína e crack, R$ 7.716,00 em dinheiro, e celulares. O indivíduo foi encaminhado para a Delegacia de Polícia.



Foto: Divulgação/Civil

Publicado em 01/5/20.


Últimas Notícias

Unidades do Super Paulinho, interditadas na quarta, 20, pela Vigilância em Saúde, foram liberadas neste sábado, 23.

Registrada a primeira morte por Covid-19 de um morador de Guaíba na noite desta quinta-feira, 14.

Na noite de quarta-feira, 13, foram confirmados 22 casos de Covid-19 em Guaíba.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2020 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados