Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Terça-feira, 14 de julho de 2020

06/12/2019 - 16h30min

Perspectiva

Compartilhar no Facebook

enviar email

Terra (plana) à vista!

Essa história de que a terra é plana, é um enigma muito interessante, preocupante e inquietante. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha, em julho desse ano, revelou que uma parcela de 7% dos brasileiros acredita que o formato da Terra é plano. Isso significa dizer que mais de uma dezena de milhão de pessoas duvidam que o planeta seja esférico. Impressionante!

Quem são esses “crentes”? A primeira constatação que se destaca é a predominância da baixa escolaridade. Desses, os que mais defendem o chamado terraplanismo, deixaram a escola após o ensino fundamental. Essa parcela diminui entre os que estudaram até concluir o ensino médio ou superior. Um ponto a ser salientado nesse debate é que a crença requer a negação dos princípios fundamentais da geografia, repetidamente confirmados por observações e experimentos há mais de dois mil anos.

É complicado captar a motivação desse movimento e, principalmente, da existência dessa significativa massa de seguidores. Pode ser que alguma falha gravíssima, no sistema educacional, tenha contribuído para tanto. Segundo Claude Carpentier, professor da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas e Sociais da Universidade de Picardie Jules Verne, na França, o ideário neoliberal, cada vez mais presente nas políticas educacionais, cria um senso de justiça peculiar no que diz respeito às questões sociais. Garante-se o mínimo e não se igualam as condições. Destaca que o discurso humanista em voga na Unesco, mascara um ideário que só faz aumentar o fosso entre ricos e pobres. Isso, consequentemente, desatende ao acesso universal à educação e à informação. Aliás!... A quem interessa um povo sem acesso a educação?

Por outro lado, existem teses que ligam esse grupo de pessoas a um movimento de resistência à ciência, pois acreditam que ela controla a vida deles e que são manipulados pelas empresas que dominam a tecnologia. Podemos, também, analisar essa hipótese pela face da “Tecnofobia” que é o medo, resistência ou aversão à tecnologia. A motivação para essa crença, entre outras, pode ser falta de qualificação, algum trauma psicológico, motivação religiosa, medo da novidade ou de ser substituído por máquinas.

O documentário "Behind The Curve", da Netflix, apresenta alguns líderes desse movimento e suas conexões com outras crenças anticientíficas. Destaco a essa linha ideológica a não aceitação do aquecimento global e o criacionismo, que nega a teoria da evolução de Darwin. Nesse entendimento, grandes descobertas científicas são desprezadas, com uma forte conexão religiosa.

Independente da quantidade e das motivações daqueles que acreditam que a terra é plana, fica a preocupação sobre a negação do conhecimento, a ausência de reflexão e a discordância com a grande obra de Deus: O Universo!

“A maravilhosa disposição e harmonia do universo só pode ter tido origem segundo o plano de um Ser que tudo sabe e tudo pode. Isso fica sendo a minha última e mais elevada descoberta.” (Isaac Newton)

Túlio Carvalho

[email protected]

Publicado em 07/12/2019

Últimas Notícias

Na noite desta terça, 7, foi confirmada a nona morte por Covid-19 de moradores de Guaíba.

Dezenas de trabalhadores de fora do Estado vão atuar na parada geral da CMPC.

Leia nesta edição: projeto vai instalar internet na casa de 2 mil estudantes em Guaíba.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2020 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados