Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Sexta-feira, 20 de abril de 2018

09/04/2018 - 14h25min

Perspectiva

Compartilhar no Facebook

enviar email

Crise de Valores

Minha leitora, dona Maura Gonçalves nos deixou. Quando fiquei sabendo, já era tarde! Não consegui me despedir dela. Uma vez ela me disse: “Eu leio tua coluna! Não fala mal dos idosos”. Adorei a puxada de orelhas! Na minha infância e adolescência, convivi muito com essa família. Belos amigos!

Ultimamente, tenho dedicado um tempo para rever meus parceiros de infância Renato Rybarczyk, o Palito, e Eduardo Pacheco de Caldas, o Dudu, irmãos de vida. Aproveitamos o horário de almoço para curtir uma boa prosa! Nossas conversas são bem típicas de três sexagenários que possuem uma coisa preciosa em comum: escolheram ser amigos!

No encontro da semana passada, recordamos as reuniões dançantes na casa da Dona Maura e do Doutor Ruy, pais da nossa amiga Sídia. O papo rolou ancorado naquela conjuntura da nossa infância e adolescência. Foi muito engraçado ouvir um de nós dizer: “Nós brincávamos na rua, de carrinho de lomba, jogávamos taco, andávamos de bicicleta, fazíamos muitas artes, mas sempre respeitamos os mais velhos”. Então outro completou: “Os valores e a moral eram outros”. Pode ser saudosismo, mas eu adoro esses momentos!

O bate-papo do último almoço trouxe outro ponto recorrente que é a importância dos bons exemplos. Com muito orgulho e voz embargada, algum dos três disse: “Nossos pais eram nossos exemplos de vida!” Outro complementou emocionado: “Transferimos esse comportamento para nossos filhos.” Aí tem mais uma questão importante, pois a transmissão de valores humanos consiste na base de um futuro para a sociedade. Isso é fato! Infelizmente as “doces” lembranças dessa época foram contrapostas pela dura realidade, nos remetendo à crise de moral e de valor da sociedade “moderna”.

A humanidade se perdeu na individualidade. Desprezou a fraternidade, tornou-se cruel e violenta. As causas são diversas! Passam, certamente, pelo modelo de desenvolvimento centrado no “lucro e poder”. Vivemos numa sociedade doente onde os “valores” se tornaram amorais (ou imorais?!).

Se entendermos que o conjunto de regras estabelecidas para uma convivência saudável, dentro de uma sociedade, são constituídas por valores morais e éticos, presume-se, que as questões morais norteiam a conduta das pessoas. Deduzo, então, que a sociedade contemporânea está vivendo uma crise de valores do ser humano. É só observar o comportamento das pessoas em suas relações sociais que comprovamos essa tese. Poderíamos trazer muitos exemplos, mas não são necessários, pois estão na nossa frente. Ou, quem sabe, até dentro de nós! É só olhar e querer ver!

Por fim, destaco que um sistema que ignora valores humanos, gera uma sociedade moralmente doente. Precisamos refletir sobre o que estamos “construindo” para o futuro da humanidade e tentar entender qual é o valor fundamental da vida. Perceber que viver não é uma mera sobrevivência!

“A vida humana não é um valor. É o fundamento de todos os valores”. (Jacques Maritain).

Túlio Carvalho

[email protected]

Publicado em 7/4/2018.

Últimas Notícias

Na terça, 10, Super Paulinho, em Guaíba, foi interditado e os proprietários presos, acusados de crime contra o consumidor.

O STF indeferiu o habeas corpus ao ex-presidente Lula por 6 votos a 5. Com isso, Lula poderá ser preso.

Nesta quarta, 28, Polícia Civil recolhe documentos no Gabinete do presidente do Legislativo de Guaíba.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2018 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados