Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Sexta-feira, 22 de setembro de 2017

04/09/2017 - 10h04min

Perspectiva

Compartilhar no Facebook

enviar email

Raízes do que é o Brasil

Amba Debate: Voz da Cidadania levou ao AR, dia 19 de agosto, na rádio Fraternidade FM, um debate sobre moral, ética e comportamento. Com a participação, por telefone, do jornalista e historiador Juremir Machado da Silva, o psicólogo Thomas Lima, o sociólogo William Araújo, o historiador Bayard Fonseca e o arquiteto Reginaldo Lacerda, dissecaram esse tema, ancorados no livro “Raízes do Conservadorismo Brasileiro” do nosso convidado especial.

Em dois anos de atividades, esse foi um dos programas que mais me envolveu e marcou. As narrativas e as intervenções dos nossos debatedores ainda repercutem no meu imaginário. Parece que escuto o Juremir dizendo: “A repressão da polícia ao movimento abolicionista, a justificativa estapafúrdia de que a abolição acabaria com a economia do país, os pedidos infundados de indenização por proprietários rurais e a disseminação do preconceito contra os negros não foram suficientes para barrar o movimento abolicionista. Foi muito importante o papel da imprensa independente, assim como dos próprios escravos, o que costuma ser relegado, na luta pela sua liberdade”.

Ao refletir sobre a pauta, vislumbrei a semelhança histórica no processo de opressão e dominação, bem como a perpetuação de uma escória na política nacional que se locupleta saqueando a “coisa pública”. Essa “orgia” sempre foi e continua sendo paga com o suor do trabalhador (ou escravo?). Enquanto isso, o País sonega importantes serviços sociais ao seu povo.

Ao mesmo tempo, os defensores da “modernização do Estado”, imputam medo na população, massificando inverdades na mídia nacional. As mesmas estratégias e argumentações que justificavam a escravidão continuam vivas e servindo de “alicerce” para escravizar o trabalhador. Pior!... Funciona! O povo “cai” nessa! Fica enclausurado no medo! Se refugia na omissão!

Para bem da verdade, não é difícil encontrar trabalhador defendendo o desmanche da legislação trabalhista e da previdência pública. Querem um exemplo? Dias atrás, ao parar num posto de combustíveis, ouvi de um frentista, que é necessário ser feita a reforma da CLT para acabar com o desemprego e abrir novos postos de trabalho. Quando questionei sobre o que mudou e como isso iria melhorar, ele disse: “Não sei!... Mas eu vi na televisão!...”
Sinceramente?!... Fiquei tão chocado que não consegui dizer mais nada.

O imaginário está dominado por um medo que imobiliza e produz essa sensação de impotência, impedindo que haja reação às “estapafúrdias” falácias. A apatia toma conta do povo brasileiro e dá sustentação ao desmanche do “Estado Nação”. Isso tem raízes na nossa história!!!

“O que se vê percorrendo os subterrâneos do passado brasileiro? O que se encontra nos desvãos da história da escravatura no Brasil? Nada mais do que as raízes daquilo que o país continua a ser”. (Juremir Machado da Silva).

Túlio Carvalho

[email protected]

Publicado em 2/9/2017.

Últimas Notícias

Quarta, 20. Grande desfile de manhã. Festejos farroupilhas de Guaíba encerram com show de César Oliveira e Rogério Melo, 19h30 no Coelhão.

BM e Civil negam toque de recolher no Bairro Vila Nova em Guaíba. Confira na versão impressa deste sábado, 16.

Cerca de quatro mil pessoas assistiram o Musical Do Cipreste ao Piratini neste final de semana em Guaíba.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2017 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados