Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

06/02/2017 - 12h56min

Perspectiva

Compartilhar no Facebook

enviar email

Sociedade Líquida!...

Pois é!... Perspectiva completou mais um ano de Gazeta Centro-Sul. São seis anos de interlocução com a comunidade guaibense. Passa rápido!... Logo vai completar uma década!... E aí?!... Assumi um compromisso (firmado comigo mesmo!) de escrever um livro a partir da releitura dos textos publicados na coluna, buscando uma síntese dessas análises, à luz daquelas conjunturas, contextualizando com a realidade que teremos em 2021.

Essa ideia surgiu de um bate-papo com meu genro, o Pedro, quando eu disse, em tom de brincadeira: O que será que a Alice e o Bruno irão pensar sobre o “vovozico Túlio”, ao ler esses textos? Pois então!... Pensei!... Vou fazer uma resenha crítica dos artigos para deixar mais claro o que pensava “o vovô” sobre a nossa realidade social. Ah!... Não vou me candidatar a dono da verdade. Apenas externar meu entendimento!...

Pensando nessa Perspectiva, revendo os temas abordados nesses seis anos, me deparei com o artigo “Sociedade Líquida” do sociólogo polonês Zygmunt Bauman. Ele analisa uma série de mudanças que se estabeleceram nas últimas décadas e que exerceu, e ainda exerce, influência sobre o mundo social contemporâneo. Entre elas, uma das maiores forças de transformação da sociedade moderna: a globalização. A aproximação ou o “encurtamento das distâncias” transformou as relações humanas de várias formas.

Essa tese centra-se num conjunto de convivências e dinâmicas que se apresentam na sociedade e que se caracterizam pela sua fluidez e volatilidade nas relações entre seres humanos e instituições sociais. Para Bauman, as relações transformam-se, tornam-se voláteis, à medida em que os parâmetros concretos de “classificação” dissolvem-se. Lembrei dos “amigos” do Facebook!

Surge, aí, a individualização, onde o sujeito se encontra livre para ser o que conseguir ser mediante suas próprias forças e interesses. A falta de pontos de referência socialmente estabelecidos e generalizadores levam às incertezas. Os indivíduos não possuem mais padrões nem códigos sociais e culturais que lhes possibilitam, ao mesmo tempo, construir sua vida e se inserir dentro das condições de classe e cidadania. Nessa ótica, algumas indagações sobre o sentimento de “pertencimento social” começam a ser respondidas.

Assim, pergunto: Como efetivar uma “Participação Cidadã” no contexto de “Sociedade Líquida”? É possível “sentir-se parte” de uma sociedade solidária e fraterna num ambiente de relações “líquidas”, “voláteis”? Vivemos uma realidade onde os valores estão se individualizando e se distanciando do coletivo. Não é só na política! Temos que restabelecer uma escala de valores na nossa sociedade que cultue a ética e a moral como pilares, se não continuaremos sendo um povo injusto e desonesto. Pior ainda, hipócrita!

“A preocupação com a administração da vida parece distanciar o ser humano da reflexão moral”. Zygmunt Bauman.

Túlio Carvalho

tulioaac@gmail.com

Publicado em 4/2/17.

Últimas Notícias

Rainha do Carnaval de Guaíba: Lidiane da Silva (Academia); 1ª Princesa: Dyoce Miranda (Império); 2ª Princesa: Natiele dos Santos (Império).

Neste sábado, 11, tem Baile Municipal no Ginásio Coelhão, em Guaíba, a partir das 22 horas.

Vereadora afastada Luciana Kubiaki (PSD) vai à CPI, mas permanece calada.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2017 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados