Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Quarta-feira, 03 de setembro de 2014

11/10/2010 - 14h23min

Investigação em Eldorado do Sul

Compartilhar no Facebook

Operação da PF busca documentos e computadores em nove locais do Município, investigando supostas fraudes em licitações.

Policiais estiveram na casa do prefeito Ernani Gonçalves

O Ministério Público Federal (MPF) recebeu denúncias, no início de 2009, sobre supostas fraudes em licitações da Prefeitura de Eldorado do Sul, que envolveriam repasses de verbas federais. A partir daí, o MPF iniciou as investigações. Há suspeitas de que licitações estariam sendo direcionadas para determinadas empresas nas áreas de Saúde e Transportes.

A Polícia Federal (PF) e a Controladoria-Geral da União (CGU) passaram a atuar nas investigações em junho. Na manhã de quinta-feira, dia 7 de outubro, cerca de 40 agentes da PF e auditores da CGU realizaram buscas em nove locais de Eldorado do Sul, inclusive na casa do prefeito Ernani Gonçalves (PDT). Nas buscas, com mandados judiciais, a PF apreendeu documentos e computadores na Prefeitura, em uma clínica particular, na casa de um empresário e na residência do Prefeito Ernani.

Durante a Operação “Muisca” (nome alusivo a tribo que deu origem a lenda do Eldorado, uma cidade na selva feita de ouro), no Município, o secretário de Transportes, Vanderlan Gonçalves, filho do prefeito, foi preso em flagrante por posse ilegal de arma. À tarde, após pagar fiança, foi liberado.

Na Casa do Prefeito

Os policiais chegaram na casa do prefeito Ernani Golçalves às 7 horas da manhã. No local, procuraram documentos e fizeram escavações no pátio em busca de dinheiro, que não foi encontrado.

Às 10h10, a Reportagem da Gazeta Centro-Sul, que aguardava em frente a casa do prefeito, registrou a saída dos policiais carregando alguns malotes (foto na capa). Profissionais de imprensa da Capital já tinham deixado o local. Ernani Gonçalves, que vestia roupas simples e um chapéu de feltro marrom, acompanhou os agentes até o portão.

Aparentemente tranquilo, o prefeito recebeu a Gazeta logo após a saída da PF, concedendo uma entrevista exclusiva. Mostrou os buracos no gramado, ao lado da piscina, salientando que cavaram a esmo. Disse desconhecer o motivo das escavações e da ação em sua residência. Explicou que os policiais levaram apenas algumas folhas de contratos de sua empresa privada e pediram para ver as armas que tinha em casa, sem levá-las. “Eu quero que investiguem a fundo e esclareçam tudo à sociedade, pois como eu fico perante a comunidade depois de invadirem a minha casa; como vou chegar no açougue e no comércio para fazer uma compra?”, questionou o prefeito, demonstrando indignação.

Foto: LA/GCS

Publicado em 9/10/10.


Últimas Notícias

Apesar de derrota para o líder DC Futsal, no sábado, 30, AGF encerra primeira fase em 3º na Série Prata de Futsal.

Leandro André questiona, em sua coluna, como se sentem os gremistas negros quando seus companheiros de clube gritam "macacos" no estádio.

Prefeitura de Guaíba tem prazo até está segunda-feira, 1º, para fazer a contraproposta dos recursos das medidas compensatórias da CMPC.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2014 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados