Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Sábado, 05 de dezembro de 2020

16/11/2020 - 10h02min

Operação Senhor do Bom Fim II

Compartilhar no Facebook

Policiais civis da DP de Guaíba executaram a Operação Senhor do Bom Fim II, com o cumprimento de 33 ordens judiciais, na segunda-feira, dia 9 (foto).

De acordo com a delegada Karoline Calegari, foram 14 meses de investigação em Guaíba. O trabalho iniciou em agosto do ano passado, quando dois indivíduos foram presos preventivamente e dois adolescentes apreendidos com drogas, dinheiro e arma em um dos pontos de tráfico no Bairro Bom Fim, Zona Oeste de Guaíba. O objetivo da Operação foi desarticular um esquema de distribuição de drogas na Cidade.


Em setembro deste ano, na primeira etapa da Operação, foi preso um dos principais líderes do tráfico local, que comandava pontos de vendas de drogas há mais de uma década; porém, no mês de outubro, lhe foi concedida liberdade eletronicamente monitorada.


De acordo com a delegada, o foco principal desta etapa da investigação é uma família contra a qual recaem seis prisões preventivas. A Operação engloba tanto os distribuidores de entorpecentes, atualmente em prisão domiciliar ou em liberdade mediante uso de tornozeleira, quanto o núcleo de indivíduos que atua em conjunto com a família específica.


Conforme a Polícia, após a deflagração desta segunda etapa da investigação, ficou demonstrada a dinâmica utilizada pela organização, desde a distribuição até a venda direta aos usuários, englobando quem transporta e armazena a droga, bem como quem faz a segurança dos pontos, além de encarregados de captar clientes pelas redes sociais.


A investigação teve duração de um ano e dois meses, vários agentes envolvidos nas diligências, e, dessa investigação, resultaram 18 mandados de busca e apreensão em residências e 15 ordens de prisão preventiva.


A Operação Policial contou com 101 policiais civis da 2ª DPRM, apoio aéreo da Polícia Civil, Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), trinta viaturas e Canil do Denarc para o cumprimento de ordens judiciais executadas em Guaíba.


Foram 12 pessoas presas, 11 preventivamente e uma em flagrante por posse de munição.


A delegada Karoline Calegari, titular da DP local, disse que o tráfico de drogas é um dos principais fomentadores da criminalidade, razão pela qual deve ser severamente coibido.



Operação Império da Lei II transfere líderes de facções criminosas

A integração entre forças de segurança e poderes das esferas federal e estadual concretizou, na segunda-feira, 9, uma nova ofensiva para neutralizar a cadeia de comando do crime no Rio Grande do Sul. Sob a coordenação do Programa RS Seguro, as secretarias da Segurança Pública (SSP) e da Administração Penitenciária (Seapen) deflagraram a Operação Império da Lei II, que transferiu nove detentos de altíssima periculosidade e com posição de liderança nas principais organizações criminais gaúchas para penitenciárias federais fora do Estado.


Com a participação de 490 agentes e o emprego de 70 viaturas e uma aeronave, a ação dá continuidade à primeira etapa da Império da Lei, que em março enviou 18 líderes de grupos criminosos para estabelecimentos do Sistema Penitenciário Federal (SPF). Entre os nove encaminhados agora, seis já eram alvo da fase anterior, mas haviam tido os pedidos de transferência negados.


A partir do trabalho das áreas de inteligência para robustecer os relatórios da Polícia Civil, o Ministério Público Estadual empenhou esforços para qualificar os recursos legais (agravos de execução), obtendo decisão favorável tanto do Poder Judiciário Gaúcho quanto da Justiça Federal para os seis alvos.


Em respeito à Lei de Abuso de Autoridade, não foram divulgados os nomes dos presos.


A Império da Lei II teve participação de 15 instituições estaduais e federais. Pelo RS, além da SSP e da Seapen, atuaram Brigada Militar (BM), Polícia Civil (PC), Instituto-Geral de Perícias (IGP), Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS), Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), Ministério Público e Poder Judiciário. Pela União, além do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), somaram-se esforços da Polícia Federal (PF), da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).


“Fica o recado de que seguiremos atuando com rigor contra as facções. É o Estado contra o crime”, resumiu o vice-governador e secretário da Segurança Pública do RS, Ranolfo Vieira Júnior.


Com os alvos da Império da Lei II, chega a 45 a soma de detentos do Rio Grande do Sul isolados em penitenciárias federais.



Delegados alertam sobre aumento de golpes durante a pandemia

Segundo o delegado Pedro Carlos Rodrigues, presidente da Associação dos Delegados de Polícia do RS (Asdep), o crescimento do número de estelionatos em meio à pandemia se deu em função da facilidade dos contraventores de alterarem identidades. Setembro foi o mês de alta dos golpes virtuais aplicados.


De acordo com dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), desde março é registrado um aumento no número de estelionatos. Em setembro, a cada dia, em média, 163 pessoas foram enganadas, sendo revelado um aumento de 143% nos golpes em comparação ao mesmo período do ano anterior.


“Durante esses últimos meses, foram denunciados inúmeros casos de golpistas que se passavam por diversos profissionais, inclusive por delegados, e usavam da credibilidade do cargo para tentar enganar os cidadãos. É muito fácil abrir uma rede social ou cadastrar um número de WhatsApp, adicionar uma foto conhecida e se passar por uma autoridade. É preciso sempre estar atento e desconfiar quando falamos com desconhecidos”, afirmou o presidente da Asdep.


Em março, foi registrado um pico de 6.758 golpes, número 236% maior que no ano anterior.


“Os golpes mais comuns durante esse período pandêmico foram clonagens de WhatsApp, golpes de cartão de crédito pela divulgação de dados e falsas vendas pela internet. É fundamental orientarmos, principalmente os idosos, a nunca divulgaram informações pessoais por meios de comunicação que não sejam oficiais. Caso seja verificado o golpe, denuncie”, orientou o delegado Pedro Carlos Rodrigues.



Foto: Divulgação/PC

Publicado em 13/11/20.


Últimas Notícias

Destaque em Guaíba - Votação do Professor Bruno (PSOL): 794 votos. Não se elegeu devido ao quociente eleitoral.

PTB elege 5 vereadores em Guaíba; PP (2); PDT (2); DEM (2); MDB, PT, PSL, PSDB, SOLID e REP um cada.

Oficial. Maranata eleito prefeito de Guaíba com diferença de 212 votos. Maranata 38,62% e Sperotto 38,18% dos votos.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2020 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados