Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Domingo, 31 de maio de 2020

17/10/2019 - 16h54min

Leandro André

Compartilhar no Facebook

enviar email

O Lado Bom de Guaíba

O clima é de aniversário, de confraternização e de reflexão sobre a nossa Aldeia, que está completando 93 anos de emancipação. Neste contexto, busquei um capítulo do meu livro “Guaíba - Outra Margem”, página 183.


Apesar de estar localizada ao lado da Capital do Rio Grande do Sul, Guaíba tem vida interiorana. Esta é a primeira grande vantagem. Vida de interior é boa, porque os amigos e a parentada estão perto; a camaradagem facilita a resolução dos problemas cotidianos.


O ritmo é mais lento, uma soneca no vento. Nos bairros, ainda se ouve o apito do afiador de facas e o grito do pescador vendendo seu peixe. Já vi até Bandeira do Divino sendo conduzida na Vila Elza. Nas ruas silenciosas do Parque 35, sente-se o aroma das panelas quando se aproxima o meio-dia. E quando a monotonia aperta, Porto Alegre está a 30 quilômetros de distância pela rodovia ou a 15 quilômetros via transporte hidroviário.

Outro ponto positivo de morar em Guaíba é o grande lago de mesmo nome da cidade. Além da energia positiva da água em abundância, ele impede a ocupação territorial sufocante, o que faz toda a diferença. Em geral, as cidades das regiões metropolitanas são desbotadas e malcuidadas. Em algumas, têm rodovias de intenso fluxo de veículos atravessando o centro urbano; quase nada chama a atenção de forma positiva. Ao contrário dos cenários modorrentos dos centros coadjuvantes, em Guaíba brilha uma luz mais intensa devido a sua localização privilegiada, sopra uma brisa de lagoa, e uma paisagem cosmopolita se revela no horizonte. Na parte mais alta, há um portal com ligação direta à história. Na parte baixa, um calçadão meio passarela, meio palco; um morro de selva e um parque natural feito uma grande sala verde.

Uma caminhada tranquila no Calçadão da Beira em uma manhã ensolarada de domingo; uma roda de chimarrão com amigos; um passeio de bicicleta pela Orla. A imagem dos biguás pescando lambaris; conversas nas esquinas, nos bares e cafés; a leitura da Gazeta Centro-Sul aos sábados; os segredos na sombra do Cipreste Farroupilha; o colorido dos barcos no espelho de água; o nascer da Lua cheia; a travessia de catamarã; e um show bacana na Praça Gastão Leão.


Ainda há muitas coisas a serem feitas para melhorar a vida coletiva na cidade. É preciso revitalizar toda a Orla e resgatar a balneabilidade das praias; garantir a preservação dos prédios históricos; melhorar a pavimentação das ruas e calçadas; fortalecer a identidade e o patrimônio cultural, além de promover a geração de riqueza e empregos de maneira sustentável. Ações a serem realizadas pela sociedade, em especial, pelas pessoas comprometidas com a comunidade.

Saiu o empréstimo da Caixa

O empréstimo de R$ 10 milhões que a Prefeitura de Guaíba contraiu na CEF a juros baixos para asfaltar as ruas da Cidade foi liberado na semana passada. A bolada está na conta do Município. Vamos acompanhar o seu destino.

De acordo com o Governo, entre o final deste ano e início do próximo teremos obras importantes de pavimentação na Aldeia. Estão iniciando os processos de licitação.



O Tomógrafo

Em entrevista à Gazeta Centro-Sul, na edição do dia 14 de setembro, o ex-secretário de Saúde de Guaíba, Itamar Costa, afirmou que havia conseguido dinheiro de emenda parlamentar (recursos foram depositados na conta da Prefeitura) para a compra de um tomógrafo. No entanto, segundo Itamar, como a Prefeitura não fez o projeto para a compra do equipamento, acabou perdendo o dinheiro. Detalhe: não havia necessidade de contrapartida do Município.

Questionei o Governo Municipal sobre esta questão e recebi a nota que segue entre aspas.

“O secretário de Saúde, Jocir Panazzolo, pesquisou e apurou as informações sobre o caso com base em documentos. Ele esclarece que o Ministério da Saúde emitiu um parecer técnico no dia 27/3/2018, solicitando esclarecimentos. Como não teve resposta, reiterou o parecer no dia 19/4/2018 e mais uma vez não teve resposta. A partir disso, o Ministério da Saúde cancelou a proposta.”


O então secretário Itamar Costa foi afastado do cargo no dia 26 de abril de 2018.


Resumo da bufa: pelo que entendi, o Itamar foi afastado e o sucessor não deu continuidade no processo, resultando na perda de um equipamento importante para a população.



O Retorno da Reculuta

Essa semana, recebi a visita do vereador Bosco Ayala. Questionei a ele a respeito de sua posição em relação ao atual Governo Municipal. Ele ficou em cima do muro, paliou, disse que apoia o que é bom para a comunidade e rejeita o que é ruim e tal.

Faz pouco que o Vereador Bosco assumiu cadeira na Câmara, ele é suplente do Vereador Juliano, que assumiu a Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Apesar de pouco tempo no Legislativo, Bosco se destaca de forma positiva. Se manifesta com boa argumentação. Aprovou a Lei da Reculuta. Com isso, o Festival que se destacou no cenário musical tradicionalista lá atrás deverá retornar em junho do ano que vem.

Leandro André

[email protected]

Publicado em 12/10/2019.

Últimas Notícias

Navio bate em pilar da Ponte do Guaíba. Içamentos estão suspensos, mas tráfego de veículos continua.

Unidades do Super Paulinho, interditadas na quarta, 20, pela Vigilância em Saúde, foram liberadas neste sábado, 23.

Registrada a primeira morte por Covid-19 de um morador de Guaíba na noite desta quinta-feira, 14.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2020 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados