Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Segunda-feira, 17 de junho de 2019

03/12/2018 - 14h45min

Leandro André

Compartilhar no Facebook

enviar email

Guaíba anda em círculos

Pelo título acima, você pode pensar que vou me referir às muitas rotatórias da Cidade. Não. O tema é bem mais complexo e requer reflexão de todos que se preocupam de verdade com a Aldeia.

Para contribuir com a tese de andar em círculos, faço comparações entre Guaíba e Camaquã, que são as maiores cidades da Região, apesar de que há uma diferença de aproximadamente 30 mil habitantes entre as duas. Guaíba tem cerca de cem mil habitantes, e Camaquã, aproximadamente 68 mil, mas com uma área quase cinco vezes maior. Na comparação, percebemos que estamos ficando para trás, que estamos rodopiando.

Camaquã tem dois teatros, Guaíba, nenhum; Camaquã tem hospital com atendimento SUS, Guaíba, não; Camaquã tem um time de futebol, com estádio, que participa frequentemente da Série B do Gauchão, Guaíba, não. Camaquã tem asilo Municipal, Guaíba, não. Camaquã tem Departamento de Educação Ambiental na Rede Municipal de Ensino, Guaíba, não. Camaquã tem Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Guaíba, não. Camaquã tem a Casa do Poeta, Guaíba, não; Camaquã tem Programa Municipal para Idosos, Guaíba, não. Mas Guaíba já teve cinema, hospital com atendimento pelo SUS, clubes fortes, Programa Municipal de Educação Ambiental e para idosos.

Sei que Camaquã tem vários problemas sociais e econômicos, tem problemas de segurança, e que a política partidária lá é bem esquisita. No entanto, Guaíba é maior, tem uma arrecadação bem maior; em 2019, será a 15ª economia do Estado entre os 497 municípios do Rio Grande do Sul. Então, por que não conseguimos avançar? Por que não temos um teatro, um hospital SUS, um asilo municipal, um programa de Educação Ambiental, uma UPA? Por que perdemos espaços e serviços que já tivemos?

Não vale resposta rápida, raivosa; não adianta responder como especialista genérico. Precisamos refletir sobre isso. Por que os projetos emperram na Aldeia? Onde está o nó? Eu sei que dá vontade de dizer barbaridades, mas não adianta, não precisamos de barbaridades, precisamos desatar o nó, o que exige comprometimento.

Em 1991, ajudei a promover o Repensando Guaíba, um seminário importante em que a sociedade se reuniu durante três dias e refletiu sobre a Aldeia. Algumas coisas avançaram na época. Entendo que estamos precisando fazer outro Repensando Guaíba. Tem de ser um evento apartidário para fluir.

Estamos andando em círculos em ruas esburacadas; estamos disputando torneios de agressões nas redes sociais, estamos na arquibancada apontando defeitos e culpados; estamos ficando para trás quando temos tudo para andar pra frente.

Campeão e a Luz Amarela

O vereador de Guaíba Campeão Vargas (PTB) e a ex-vereadora Paula Parolli foram condenados em segunda instância, no ano passado, por improbidade administrativa. A ação, movida pelo MP, foi baseada em contratações de CCs para cargos não compatíveis com as funções quando eles estavam na Presidência da Câmara Municipal de Guaíba.

No dia 6 de novembro, o TJ rejeitou recurso para o STJ, em Brasília, mas ainda cabe recurso especial ao STF. Se nada for alterado e o processo transitar em julgado, Campeão e Parolli perderão seus direitos políticos. Conversei sobre este caso com o Vereador Campeão. Ele me disse que vai recorrer até o fim e espera concluir seu mandato.

Mesa Diretora da Câmara

No dia 11 de dezembro, os vereadores de Guaíba irão eleger a nova Mesa Diretora para 2019. Um grupo de 9 parlamentares da base governista se uniu para compor uma chapa com Juliano Ferreira (PR) na Presidência. Tudo parecia definido, mas eleição da Mesa Diretora na Aldeia se define somente aos 45 do segundo tempo.

A luz amarela acendeu para o Campeão com a última decisão do Tribunal de Justiça, mas ele não atirou a toalha e segue articulando. Os governistas Campeão Vargas e Arilene Pereira, ambos do PTB, ficaram de fora do Grupo dos 9 e passaram a negociar uma chapa com a oposição, que tem cinco votos.

Resumo da bufa: o placar está 9 a 7, mas se um dos 9 pular a cerca, motivado por um bom cargo, por exemplo, dá empate. Neste caso, entra o vereador mais velho, que é o Arilene.

Diante deste drama que consome os bastidores da Casa, o Grupo dos 9 cobra apoio do Sperotto. Se o prefeito lavar as mãos, corre o risco de perder aliados importantes e a oposição assumir o comando do Legislativo. É verdade que a força do Governo é grande neste jogo que envolve cargos.

Obra parada de novo

A Prefeitura de Guaíba rescindiu o contrato com a empresa que estava revitalizando o prédio do Mercado Público, que deverá ser transformado em Mercado Cultural. De acordo com a Prefeitura, a empresa não cumpriu na íntegra o cronograma. Foram executados serviços preliminares: demolição de telhado, reforço estrutural, uma parte da alvenaria, e parou.

Uma nova licitação está sendo providenciada para continuar a obra. É sempre a mesma coisa.

Prefeito em Brasília

O Prefeito Sperotto esteve em Brasília. Falou com Bolsonaro e com futuros ministros. Tirou fotos, fez legal, e anunciou verbas para a Maternidade. Eu, que sou veterano e não cozinho na primeira fervura, entendo que é bom esperar para comemorar.

Leandro André

[email protected]

Publicado em 1/12/2018.

Últimas Notícias

Em Guaíba, tudo funcionando normalmente na manhã dessa sexta-feira, 14.

Prevista paralisação de professores da rede municipal de Guaíba, nesta sexta, 14, em protesto contra a Reforma da Previdência.

Prefeito Sperotto demite Alex de Oliveira da Secretaria de Mobilidade Urbana de Guaíba, justificando que é preciso revigorar a Pasta.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2019 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados