Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Sexta-feira, 20 de abril de 2018

16/04/2018 - 14h01min

Leandro André

Compartilhar no Facebook

enviar email

O Lula e o Paulinho

A comparação que faço agora parece descabida, mas não é; pelo contrário, entendo ser oportuna. É sobre atitude que temos de refletir se quisermos começar a melhorar de verdade nossa Aldeia e nosso País.

Muitas pessoas que ainda defendem o ex-presidente Lula argumentam que ele promoveu inclusão social, ingresso de pobres nas universidades e distribuição de comida aos necessitados. É verdade. Nos governos do Lula, foram realizadas importantes ações de inclusão. Mas também é verdade que o ex-presidente se juntou com o que tem de pior na política partidária deste País. Colou em políticos que criticava. Também é verdade que o Lula participou da cúpula que promoveu o maior sistema de corrupção do Planeta, conforme confissões detalhadas de corruptos e corruptores, que revelam esquemas de propina com muito, mas muito dinheiro desviado de obras públicas superfaturadas.

A corrupção não foi inventada pelo PT ou pelo Lula, vem de muito tempo, mas o PT e o Lula prometeram terminar com a roubalheira. Entretanto, ao invés disso, sistematizaram e ampliaram a corrupção. Eu, que assisti os comícios do Lula e acreditei, não tenho dúvidas de que ele é o principal responsável pelo maior golpe na esperança de uma geração que já aconteceu na história deste País.

Mas, apesar dos erros graves do Lula, dele ter se vendido para banqueiros e grandes empreiteiros, além de ter se envolvido com a banda podre da política, ainda há militantes que não acreditam na sua culpa e o defendem com paixão de torcedor. Fazendo isso, defendem a corrupção aos berros, vestidos de vermelho, com punhos fechados. Os devotos de Lula não acreditam que um líder que promoveu importante inclusão social possa ser o mesmo que promoveu o maior sistema de corrupção do mundo.

Aqui na Aldeia, há pessoas que defendem o Paulinho, do Supermercado que foi interditado porque comercializava produtos podres, conforme foi flagrado na terça-feira, dia 10. Apesar disso, há defensores do Paulinho.

Eu não sou cliente do referido Supermercado, tendo em vista ser voz corrente na Cidade o alerta dramático sobre a quantidade de produtos vencidos nas prateleiras.

Mesmo depois de publicados os registros de comida podre, armazenada em locais imundos, com ratos, baratas e moscas, há quem defenda o Paulinho, argumentando que ele é trabalhador, que veio de baixo e subiu na vida lutando, com muito esforço. Alegam, também, que ele vende por meio do sistema de caderno, com pagamento no final do mês, facilitando a vida de muitas famílias, além de ter preço acessível.

Pelo que apurei, é verdade que o Paulinho é trabalhador, que cresceu lutando, que facilita a vida de muitas pessoas vendendo com caderno e que tinha preço acessível. No entanto, também é verdade que ele vendia alimentos podres, fora da validade e mal acondicionados. Com isso, colocava a vida das pessoas em risco, inclusive dos filhos daqueles que o defendem.

Lutar por inclusão social é importante, porque é importante melhorar a distribuição de renda e dar dignidade para as pessoas. Mas é preciso olhar o contexto e compreender que só existem pessoas miseráveis porque existe péssima distribuição de renda, que tem como base de sustentação a corrupção. Então, não adianta um corrupto promover ações de inclusão social de um lado e, de outro, cultivar miseráveis de barriga cheia para se manter no poder.

Não adianta vender produtos com preços acessíveis se estiverem estragados, não adianta facilitar a venda de comida para quem precisa se o alimento está podre.

O Lula e o Paulinho, guardadas as proporções, representam um modelo de País que precisa acabar se quisermos nos transformar em uma nação de verdade. Não estou falando de moralismo, de direita ou de esquerda, nem de dedo justiceiro. Estou falando em fazer a coisa certa, estou falando da importância de respeitar as pessoas e a legislação.

No Governo

Essa semana, o secretário estadual do Solidariedade, Marco Vieira, me ligou para ressaltar que o partido está no Governo Sperotto, mas o Maranata, não. Ponderei que, se o partido faz parte da base do Governo e o Maranata faz parte do partido, então ele faz parte da base, também.

O secretário discorda. Tentou me convencer que a relação não é direta. Não conseguiu.

Eu entendo a intenção de tentar contornar o desconforto criado, mas tem coisas que não tem como contornar.



Reforma do Prédio da Câmara

Leitor escreveu questionando sobre o fato da Câmara Municipal de Guaíba pagar duas vezes pela cobertura da fachada do prédio. A Gazeta Centro-Sul já fez matérias sobre este caso e eu já me manifestei aqui na Coluna. Mas, para quem não acompanhou, volto ao tema.

A colocação das pastilhas na cobertura do prédio da Câmara não teve duração e começou a cair. O Legislativo perdeu o prazo da garantia. Então, no ano passado, por meio de um acordo com a empresa que colocou as pastilhas, ficou acertado que a cobertura seria retirada sem custo. No entanto, a obra para refazer a cobertura será paga com o nosso dinheiro.

Foi realizada nova licitação e a empresa vencedora cobrou R$ 244,9 mil para executar a obra. Resumo da bufa: houve negligência do Legislativo, que resultou em desperdício de dinheiro público. Já foram gastos milhões de reais em obras de reformas no prédio da Câmara nos últimos anos e o resultado é assustador.



Leandro André

[email protected]

Publicsdo em 14/4/2018.

Últimas Notícias

Na terça, 10, Super Paulinho, em Guaíba, foi interditado e os proprietários presos, acusados de crime contra o consumidor.

O STF indeferiu o habeas corpus ao ex-presidente Lula por 6 votos a 5. Com isso, Lula poderá ser preso.

Nesta quarta, 28, Polícia Civil recolhe documentos no Gabinete do presidente do Legislativo de Guaíba.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2018 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados