Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Sexta-feira, 31 de outubro de 2014

27/10/2014 - 14h43min

Leandro André

Compartilhar no Facebook

enviar email

Eleições e Revelações

Emoções e revelações importantes marcaram essas eleições para a Presidência da República e o Governo do Estado.

Aécio e Dilma navegaram em águas turbulentas. Acusações mútuas, discursos dramáticos, leviandade e números impressionantes marcaram as propagandas políticas e os debates.

E na medida em que o marketing avançava, a emoção popular aflorava e a vida real se confundia com a ficção. Na tela de fundo, um vale-tudo pelo poder, por cargos, e praticamente nada de ideologia.

Eu entendo que as propostas viáveis para solucionar efetivamente a penca de problemas cabeludos que afetam a sociedade deveriam mover os eleitores. No entanto, percebo que muitos eleitores, muitos mesmo, são movidos pelas questões passionais, pelos discursos feitos sob medida e pelas mensagens empolgantes do marketing. Na campanha, teve terrorismo eleitoral com o Bolsa Família e convenção dos santinhos do pau oco.

Nas redes sociais, milhares de adesistas abobados ainda trocam ofensas numa discussão de superfície. Os “dilmistas” acreditando que o PT ainda é um partido de esquerda e combatente à corrupção; e os “aecistas”, crentes que o bom moço de Minas Gerais salvaria o Brasil com oratória espetacular.

Não temos discussões sobre direitos e deveres, sobre o fim das ideologias e sobre a corrupção generalizada na sociedade. Não se discute o que é preciso fazer para mudar o Brasil de verdade, o debate é sobre quem é o mais idiota.

Brasil Dividido

A Dilma venceu uma eleição muito disputada, escancarando uma divisão importante no Brasil: Norte e Nordeste, do PT; e Sudeste e Sul, dos tucanos. A pobreza versus os melhorzinhos, financeiramente falando.

A derrota de Aécio no seu Estado, Minas Gerais, e no Rio de Janeiro, mesmo que por margem pequena, foi fundamental para a vitória de Dilma, que teve votação esmagadora no Nordeste. Coisa impressionante.

Agora, os abobados das redes sociais focam suas agressões divididos em times regionais, como se ofender os outros fosse resolver os problemas de todos.

Ter um quarto da população dependendo do Bolsa Família mostra que o Brasil vai mal, muito mal. Troca de ofensas alucinadas nas redes sociais mostra que o Brasil vai continuar mal por muito tempo.

No Rio Grande do Sul

No Estado que canta o Hino Riograndense durante a execução do Hino Nacional e se orgulha disso, os eleitores se dividem entre petistas e antipetistas e também se orgulham disso. Os antipetistas venceram e termina aí o entusiasmo e a tristeza. Vencer o adversário é o que importa; se achar melhor do que os outros é o que importa. Melhorar a qualidade de vida de todos é secundário.

O Sartori venceu com um discurso simples, pedindo a união do Estado. Se isso for possível, será o primeiro passo para sairmos da pindaíba em que nos metemos.

O Tarso venceu os debates e apresentou ideias modernas. No entanto, não percebeu que seu discurso estava bem distanciado da realidade. Acusava o adversário de não ter projetos, sem considerar que não executou um dos seus principais projetos: o pagamento do Piso Nacional do Magistério. Destacou que o Estado se abriu para o mundo, o que é verdade, mas ignorou os graves problemas domésticos, como a segurança pública, o atendimento de Saúde e de Educação. Terminou com algumas salas de aula de lata, mas e aí? Continua faltando professores de matemática, português... O Estado continua fazendo de conta que paga bons salários, os professores fazendo de conta que ensinam, e todos acreditando no calendário escolar de duzentos dias letivos.

De certa forma, o Sartori, com seu jeito simples e realista, deu uma sacudida no nosso mundo de faz de conta aqui no Rio Grande. Vamos ver no que vai dar.

O Desrespeito dos Grandes

As interrupções do abastecimento de água, do fornecimento de energia elétrica, da telefonia e da internet são constantes. E os problemas se agravam, porque além de persistirem, os serviços de atendimento à população são falhos para não dizer um palavrão. As agências reguladoras falham na fiscalização. O consumidor brasileiro muitas vezes não é respeitado. É duro ter de brigar contra empresas gigantes, que deixam os clientes pendurados no telefone, sem atendimento, sem respostas, e sendo enrolados. É cruel depender de um sistema que se coloca acima da legislação em um país onde o cumprimento das leis é relativo.

Aqui no Brasil é comum as pessoas dizerem que “pagam para não se incomodar”. Nos países desenvolvidos, a lógica é inversa: as pessoas se incomodam para não pagar o que é indevido. Talvez seja por isso que nas sociedades desenvolvidas os serviços públicos funcionem de acordo com a cartilha.

O Fim da Picada

O desrespeito que citei acima é uma realidade no Brasil. E, de vez em quando, as pessoas em desespero trocam os pés pelas mãos, conforme aconteceu na noite de sábado, 18 de outubro, na Região das Ilhas. Uma população pobre, cansada da falta de atendimento, decidiu bloquear a BR-290 durante horas para chamar a atenção das autoridades. Vejam em que ponto chegamos.

Por conta da indignação legítima de uma comunidade, da ineficiência das polícias e de uma generalizada falta de respeito com os direitos básicos do cidadão, como o de ir e vir, por exemplo, uma rodovia importante foi fechada durante cinco horas, deixando milhares de pessoas trancadas e desassistidas. É o fim da picada!

Moradores da Alegria

Na quinta-feira, dia 30 de outubro, às 19 horas, no Salão Paroquial Nossa Senhora da Paz, Zona Sul de Guaíba, será realizada uma reunião dos moradores do Bairro Alegria com representantes da Celulose Riograndense e da Prefeitura para tratarem de questões referentes aos impactos das obras de expansão da fábrica. Na pauta: ruídos, poeira, poluição, trânsito e falta de fiscalização, entre outras questões.

O encontro está sendo chamado por uma comissão de moradores do Bairro Alegria, segundo o presidente da UAMG, Nauto de Oliveira.

Biblioteca passa para a Setuc

Essa semana, a Biblioteca Pública de Guaíba saiu da Pasta da Educação e passou para a Secretaria de Turismo e Cultura (Setuc). Segundo a secretária Cláudia Mara, da Setuc, o motivo foi a possibilidade de obter recursos para a Biblioteca, considerando que as verbas da Educação são carimbadas e quase todas direcionadas para as escolas.

Eu questionei à Secretária Cláudia sobre projetos e ela disse que irá construir junto com os servidores. Espero que a partir dessa mudança os computadores funcionem e que o prédio seja pintado, pois a fachada se transformou no quadro da dor.

Publicações Legais

As publicações legais da Câmara Municipal e da Prefeitura de Guaíba são veiculadas somente na Gazeta Centro-Sul, porque o Jornal venceu as licitações para a prestação desse serviço nos dois poderes municipais. Não depende da vontade do prefeito ou dos vereadores. Ratifico esta informação, pois pode haver algum leitor que não saiba o motivo dos editais estarem sendo publicados somente na Gazeta. Então, está esclarecido. Processo licitatório é público e qualquer cidadão pode consultar a documentação e o processo.

Dica de cinema do colunista. O Juiz. Baita filme!

Leandro André

[email protected]

Atualizado em 27/10/14.

Últimas Notícias

Prefeitura de Guaíba anuncia a construção de pista de skate modelo no Parque da Juventude.

Identificado o suspeito de matar o jovem Luciano Rodrigues durante assalto a ônibus na BR.

Sartori eleito governador, com 61% dos votos. Dilma reeleita presidenta, com 51% dos votos. Em Guaíba, comemorações acanhadas.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2014 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados