Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Sexta-feira, 25 de julho de 2014

21/07/2014 - 09h14min

Leandro André

Compartilhar no Facebook

enviar email

Sacolejando

Muitas ruas em Guaíba estão bem ruins, inclusive as centrais. Existem pelo menos quatro causas para isso: a Corsan; as chuvas; a falta de manutenção e de um plano viário eficaz.

Esses dias, eu vinha sacolejando dentro do carro e me dei conta do tamanho do problema. A gente sacoleja intensamente na Estrada do Conde e na Vinte de Setembro. E continua sacolejando na Cônego Scherer e até na São José. São desníveis e buracos por todos os lados. Tem buracos até onde recentemente foi asfaltado, como próximo aos parques na Beira. Há ruas nos bairros quase intransitáveis.

Eu dei uma olhada no Portal da Transparência e constatei que a Prefeitura de Guaíba tem R$ 15 milhões em caixa. É um bom dinheiro. Então, deveriam cuidar melhor das ruas.

Estou acompanhando a negociação do Executivo Municipal com a Corsan para que a Companhia arrume as ruas que estragou após a colocação de canos. Até agora, percebo que estão no campo da boa vontade e tal, mas chegou num ponto que a negociação só patina. Se estragou, tem de arrumar.

A Agergs prometeu solução e eu estou cobrando enquanto sacolejo na Vinte de Setembro.

Pagar para asfaltar

E por falar em buracos e saracoteios, eu sou contra essas parcerias entre moradores e Prefeitura para asfaltar ruas, mesmo que a parceria funcione. A pavimentação é obrigação do poder público, que deve fazer o serviço com o dinheiro dos impostos.

Eu sei que estas parcerias nascem de um esforço grande da população para que a Prefeitura faça a sua parte, considerando a maneira frágil como “administra” o setor. No entanto, esta prática é discriminatória, pois as comunidades que não têm dinheiro para pagar o meio-fio e o material ficam para trás. Sugiro a leitura do Editorial da Gazeta desta edição.

Eu driblei um senhor

Além de enfrentar os buracos e desníveis nas ruas, temos de enfrentar os das calçadas. Esses dias, eu driblei um senhor na Rua Cônego Scherer. Ele vinha na direção contrária a minha e nos encontramos diante de uma buraqueira. Para não acertá-lo em cheio, virei repentinamente para o lado esquerdo e com habilidade espetacular fiz um giro de 180 graus, apoiado apenas com o pé direito num pedaço minúsculo de calçada. Foi uma manobra sensacional, mas salvei o velhinho.

Para evitar quedas e batidas nas pessoas enquanto caminhamos pelas “calçadas” em Guaíba, temos de ser craques e equilibristas; às vezes, bailarinos. Se tivesse fiscalização de verdade, multando quem não cumpre a lei, as caminhadas seriam simples e seguras, como devem ser.

Educação Milionária em Eldorado

Impressionante o gasto da Prefeitura de Eldorado do Sul com a compra de vagas em escolas particulares para oferecer Educação Infantil. São R$ 280 mil por mês, que somarão ao final do ano um montante superior a R$ 3 milhões, de acordo com informação da própria Prefeitura.

Entendo que é obrigação do poder público oferecer creches, pois os pais precisam trabalhar e ter um local digno para deixar os filhos. Entretanto, não concordo que seja por meio de compra de vagas em escolas privadas, conforme acontece em Eldorado do Sul.

Surra Sindical

Eu assisti a assembleia do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias da Construção Civil que aconteceu no início da noite de quinta-feira, 17, em frente ao prédio da Câmara Municipal de Guaíba. O encontro foi para decidir se o Sindicato deveria ser desmembrado ou não. Depois de um dia tenso e de um pegado torneio de caminhões de som pela Cidade, a assembleia durou um minuto. Abriram, votaram pelo “não” ao desmembramento e encerraram.

A concentração aconteceu debaixo de chuva. Como o prédio da Câmara não foi aberto, a Direção do Sindicato decidiu realizar o registro de presenças e a assembleia na rua mesmo, no endereço que constava no edital de convocação.

Os separatistas não tiveram chance alguma, pois a mobilização do Sindicato foi muito grande. Uma multidão de trabalhadores, muitos vestindo capas de chuva e se abrigando sob marquises. A BM e o Corpo de Bombeiros garantiram a segurança.

A turma separatista, liderada pelo vereador Campeão Vargas, sumiu ao perceber a força da unidade. Pelo que pude perceber, foi soterrada a tentativa de fundar outro Sindicato da Construção Civil em Guaíba. Acredito que tão cedo esta ideia não volte à pauta.

O Telefonema

Na segunda-feira, 21, o Vereador Campeão me ligou para dizer que não teve nada a ver com a mobilização dos separatistas do Sindicato. Nada.

Cobrei da Tia Alaíde, que me passou a informação. Ela chorou, afirmando que sua fonte é de confiança. – Calma, Tia Alaíde! Deve ter acontecido algum engano...

A Credibilidade

As redes sociais são importantes e milhões de pessoas se comunicam, cada vez mais, por meio delas. É impressionante. No entanto, quando precisamos ter certeza se a informação que corre por lá está correta, temos que nos certificar em um veículo de comunicação de verdade, que tenha um nome a zelar. Bem diferente do atacado virtual, aberto ao clube dos fakes, onde cada um diz o que quer e a coragem e a credibilidade têm consistência de sombra. Forte, essa.

Leandro André

leandro.andre.gazeta@gmail.com

Publicado em 19/7/14.Atualizado em 21/7/14.

Últimas Notícias

A Importância do Plano Viário. Confira o Editorial da Gazeta Centro-Sul.

Assembleia do Sindicato da Construção Civil aconteceu às 19 horas, na quinta-feira, 17, em frente ao prédio da Câmara.

Sindicato da Construção Civil realizou assembleia, em Guaíba, debaixo de chuva. Trabalhadores votaram contra o desmembramento da entidade.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2014 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados