Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Quinta-feira, 24 de abril de 2014

22/04/2014 - 09h27min

Leandro André

enviar email

O Futuro Prefeito

Eu sei que estamos longe das eleições municipais, pois irão acontecer somente em 2016, mas já estou pensando no futuro prefeito da cidade onde eu moro.

Em outubro deste ano, votaremos para eleger o presidente e o vice da República, um senador, deputados estadual e federal. Serão eleições importantes também, como todas, mas para eleger o chefe da Aldeia local, definitivamente, é preciso se preocupar com bastante antecedência, não é algo para se pensar na véspera.

Na próxima gestão, o prefeito de Guaíba vai trabalhar com uma arrecadação olímpica, ao se confirmar a vinda de pelo menos um terço dos empreendimentos anunciados. O Município deverá estar estruturado.

Tenho conversado com algumas lideranças da Cidade e provocado a discussão sobre o futuro político do Município e seus representantes, mais especificamente sobre o futuro prefeito. Quem está ou estará mais preparado? Quem tem visão administrativa? Além de estar no meu DNA me envolver em política (não me refiro especificamente à partidária), é da minha profissão pensar o futuro promovendo debates no presente.

Já conversei com nove lideranças em particular. Entre elas, políticos, empresários, educadores e sindicalistas. Estou avançando nas conversas. Marco um encontro, começo falando no tempo, em futebol, e, de repente, entro no assunto. A primeira reação dos meus consultados é a de distância, mas eu provoco, coloco o dedo na ferida, critico a síndrome do queixume vazio e da omissão dos que têm café no bule. E, de repente, vão se soltando, vem logo a segunda xícara de café e o assunto começa a esquentar.

Eu não vou citar nomes, pois neste momento meu projeto de discussão sobre lideranças municipais e o futuro da Cidade está em andamento de forma reservada, mas adianto uma conclusão parcial. Aqueles que têm competência para assumir o cargo de prefeito, ou não se dispõem a se expor, alegando excesso de trabalho e tal, ou não têm empatia com a comunidade que seja capaz de render votos suficientes. Até o momento, apenas um do grupo com quem conversei, com capacidade para assumir o cargo de chefe do Executivo, admitiu concorrer, mas assim mesmo despistou.

Entendo que o próximo prefeito, entre outras qualidades importantes, deve ser um sujeito honesto, que não concorde em trocar votos por pneus, telhas, aterro, cargo ou fardamento de futebol, mas que tenha capacidade de ser bem votado. Vocês estão entendendo onde quero chegar?

Mantenho o debate a respeito da geração de novos líderes e, consequentemente, sobre quem poderá ser o próximo prefeito, pois acredito que discutir este assunto nas vésperas das eleições é uma burrice política das brabas e isso serve para todos os municípios. Quem quiser participar, enviando opiniões e sugestões sobre o tema, fique à vontade.

Tenho escutado, no clube do queixume, que o problema de Guaíba é a mesma família governar a Cidade há anos. Baita bobagem, pois ninguém decide governar e assume a Prefeitura por vontade própria, é preciso ser eleito pela maioria da população, então não me venham com esta conversa fiada de família.

A Cidade mudou, estamos vivendo uma nova época, com avenidas e congestionamentos; com aumento significativo de moradores e de visitantes; com problemas estruturais e ambientais para serem resolvidos. Então chegou a hora de começarmos a pensar e trabalhar de forma planejada, com maturidade. É preciso entender o que está acontecendo e deixar a ladainha de lado.

Espero que o prefeito Henrique Tavares assuma o seu papel de líder e cumpra a sua missão, sendo protagonista neste momento de transformação. Espero também que novos líderes se apresentem, comprometidos com a Aldeia, pois a nossa qualidade de vida passa por isso. Mas eu não apenas espero as coisas acontecerem, eu rejeito a estéril ladainha dos descontentes e provoco o debate político de raiz. Mais do que isto, eu espero que as lideranças se engajem neste processo com o mínimo de vaidade possível.

A Quinta da Matação

Se a sexta-feira é santa, a quinta é da “matação” em Guaíba e em diversos municípios e órgãos públicos espalhados pelo Brasil. A Prefeitura de Guaíba fechou as creches na quinta-feira, e também não teve expediente, integrando a “Quinta da Matação”.

Abrigos de Ônibus

Na semana passada, critiquei a escassez de abrigos em pontos de ônibus na Zona Oeste de Guaíba (Bom Fim; Columbia City; Jardim dos Lagos; Vera Cruz; São Francisco; Pedras Brancas). Essa semana, o diretor de Transportes, Cristiano Machado, enviou texto e fotos esclarecendo que em 2013 foram colocados seis novos abrigos e seis foram reformados naquela região da Cidade.

Muito bem, acredito que este processo vai continuar neste ano.

Leandro André

leandro.andre@gazetacentro-sul.com.br

Publicado em 19/4/14.

Últimas Notícias

Liberada a LI da Foton em Guaíba. Governador participa da solenidade de início das obras, nesta quinta, 24, às 10h, na área da fábrica.

Jogando em Ibirubá, no sábado, 19, AGF perde de 8 a 5 para a ASIF. Detalhes na versão impressa.

Farmácia vende remédio errado e menina de 14 anos acaba morrendo na Cohab de Guaíba. Confira os detalhes na versão impressa.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2014 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados