Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Sexta-feira, 25 de setembro de 2020

16/07/2020 - 10h09min

Editorial

Educação e Alagamentos

Compartilhar no Facebook

O acúmulo de lixo nos logradouros e na rede de esgoto é resultado do descaso de algumas pessoas. Os resíduos descartados em locais inadequados acabam se acumulando no sistema de drenagem, provocando alagamentos nos dias de chuva. Essa atitude negativa deve ser combatida com conscientização da sociedade, e a melhor maneira de fazer isso é por meio de um eficaz programa de Educação Ambiental e de fiscalização atuante.

Em Guaíba, no ano de 1993, a então Diretoria de Meio Ambiente e a Secretaria Municipal da Educação implantaram um programa de Educação Ambiental denominado “Plantando Ecologia”, com o objetivo de contribuir para que a comunidade participasse das questões ambientais do Município com consciência ecológica. Entre as atividades mais importantes desenvolvidas, destacaram-se a participação das escolas no sistema de coleta seletiva de lixo; a realização de hortas comunitárias; promoção de palestras e visitas técnicas. Todo o trabalho nas instituições de ensino era coordenado por professores previamente treinados, com apoio dos alunos. O engajamento foi significativo e abrangente, envolvendo as famílias dos estudantes e as comunidades dos bairros.

Por meio de parcerias, a Prefeitura mantinha espaços para o descarte de caliças, entulhos e galhos, o que garantia uma cidade relativamente limpa. Tudo isso com um orçamento cerca de 14 vezes menor do que o atual. Infelizmente, com as sucessivas trocas de governos, o Plantando Ecologia foi desativado, sendo substituído por ações teóricas com poucos resultados práticos.


A experiência de Guaíba, relatada acima, mostra que a preservação ambiental depende mais de vontade política do que de dinheiro.


O atual Governo Municipal implantou cinco ecopontos nos últimos três anos, o que deve ser destacado de forma positiva. Os locais especiais destinados ao descarte de resíduos recicláveis têm contribuído sobremaneira com a limpeza da Cidade. Entretanto, se faz necessário um programa de Educação Ambiental para que haja engajamento comunitário em relação aos cuidados necessários para manter um ambiente público limpo e aprazível. Neste contexto, o sistema de drenagem se torna mais eficiente, sem obstrução, e, consequentemente, os pontos de alagamentos diminuem consideravelmente.


É preciso criar na sociedade o sentimento de pertencimento para que todos se sintam responsáveis pelo bem-estar ambiental e social. Compreender a importância da Educação Ambiental é o primeiro passo para tomar o caminho que leva à qualidade de vida para todos.

Publicado em 10/7/20.


Últimas Notícias

Região de Guaíba se mantém em bandeira laranja no mapa de distanciamento controlado do RS.

Sete candidatos disputam a Prefeitura de Guaíba. Em Camaquã, são quatro candidatos. Ver edição impressa.

Sperotto (PTB) e Cleusa (MDB) mantêm união para tentar reeleição à Prefeitura de Guaíba.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2020 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados