Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Terça-feira, 20 de outubro de 2020

08/09/2020 - 17h30min

Comportamento

Compartilhar no Facebook

enviar email

Leandro Karnal e Luiza Helena Trajano

É importante saber para onde se está indo, ter inteligência para o futuro. Esta frase é do sociólogo italiano Domenico De Masi, autor de diversos livros que têm o trabalho como tema. Ela está na capa do livro que recebi, no final de agosto, depois de participar do curso “Competências Profissionais, Emocionais e Tecnológicas para Tempos de Mudança”, realizado online pela PUCRS. Fomos mais de novecentos mil inscritos de todo o Brasil, e os professores convidados, Leandro Karnal e Luiza Helena Trajano, fizeram ótimo trabalho.


O Professor Karnal, como é de praxe, arrebatou minha atenção com certas questões corriqueiras das quais geralmente não nos damos conta. Como a máquina de hábitos que é o nosso cérebro, do nosso gosto pela repetição de ações e até de pensamentos. Segundo ele, mudanças são aceleradas em crises, e a capacidade de enfrentá-las é o que torna uma pessoa importante no quesito estratégia. “Nenhum marinheiro é reconhecidamente bom se navega apenas em mar tranquilo”, afirmou.


Em uma de suas avaliações relacionadas às recentes mudanças no mundo do trabalho, sentenciou: “Não existe mais a figura do formado; agora, todo mundo é formando”. E enfatizou a inteligência emocional como o grande diferencial entre o sucesso e o fracasso.


E quando pensei que tinha assistido a melhor parte do curso, a empresária Luiza Helena Trajano entrou em cena e me surpreendeu. Com seu jeito tranquilo e cheia de simplicidade, a inteligência feminina que comanda uma rede nacional de lojas deu um show de lucidez e de sabedoria.


Iniciou sua abordagem declarando que o confinamento apenas acelerou o que já estava acontecendo antes da pandemia. Fez críticas a nossa falta de costume ao protagonismo do País, àqueles brasileiros que sempre acham melhor o que é feito no Exterior. E ressaltou pontos positivos desta crise pela qual passamos, como o fortalecimento da cultura de doação, da cooperação.


Segundo a Professora Luiza, cada um é do tamanho daquilo que compartilha, e todos precisamos ter um propósito na realização do trabalho. Antes de pensar em lucro. “Empresas e pessoas que não tiverem propósito de vida, que não pensarem no coletivo enquanto pensam no seu próprio mundo, nunca terão carreiras brilhantes”, destacou.


E nos disse que a saúde é um dos pilares da igualdade social, por isso o Sistema Único de Saúde (SUS) é tão importante. “É excelente, se não funciona como deveria, o problema é de gestão”, concluiu.


A empresária lembrou que a vida exige esforço, renúncia, e que os verdadeiramente felizes são aqueles que se negaram a abrir mão da sua essência. Observou que a vida retribui a quem é do bem, chamou as mulheres das comunidades carentes de “verdadeiras ministras da economia”, e recomendou que não se facilite demais a vida dos filhos, para que eles sintam a felicidade da conquista. “Pare de dizer que se sente cansado, porque os cansados não chegam a lugar algum. Faça perguntas, não acredite que já sabe o necessário”, aconselhou.


Gostei muito de participar do curso “Competências Profissionais, Emocionais e Tecnológicas para Tempos de Mudança”, realizado online pela PUCRS. Os dois professores convidados, Leandro Karnal e Luiza Helena Trajano, fizeram um ótimo trabalho.



Cristina André

[email protected]

Publicado em 04/9/20.

Últimas Notícias

Assassinato que matou professora e seu filho, no Bairro Bom Fim, choca a comunidade.

Professora Rosa Jardim, 67, e seu filho Leonardo, 28, foram mortos em casa, em Guaíba, na madrugada desta segunda, 5.

Região de Guaíba se mantém em bandeira laranja no mapa de distanciamento controlado do RS.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2020 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados