Gazeta Centro-Sul

Contato: (51) 3055.1764 e (51) 3055.1321  |  Redes Sociais:

Sbado, 19 de janeiro de 2019

03/12/2018 - 14h51min

Comportamento

Compartilhar no Facebook

enviar email

Um Livro de Presente

Tenho pensado sobre o que me fará maior falta se esse nosso mundo continuar tão acelerado na direção que ele próprio tem anunciado sem saber qual a razão da pressa nem aonde quer chegar.

A resposta, que é sempre a mesma, por vezes vem pelos caminhos do cérebro; por outras, direto e sem escalas, do coração. Reconheço, então, que sentirei muita falta das livrarias, onde livros têm a melhor das moradas na juventude; e também dos sebos, habituais abrigos de suas antigas e valiosas edições impressas. É nas visitas que fazemos a elas que encontramos nosso versado acolhimento.

Incontáveis são as horas de lazer em que passo na livraria preferida, e em outras tantas que felizmente conheço. Gosto de percorrer as estantes sem pressa, de procurar títulos que me chamem a atenção, ler orelhas, apreciar capas e contracapas, me surpreender com lançamentos. E depois de passear pelo admirável espaço que se oferece à leitura, pedir um café para dar sabor à eficaz terapia.

Em cada nova viagem, visito a livraria frequentada pela população, procuro livros de autores locais, de receitas originais combinadas com a cultura do povo. Peço um bom café, marca registrada da felicidade que se instala em mim na forma de frases e versos. Depois, sigo viagem, coração e mente aliviados.

Tenho pensado muito sobre o que fará maior falta a toda gente se o mundo continuar com as mudanças que se anunciam; se por ventura chegar o momento em que a vida, talvez sem paciência de se repetir, decidirá ir em frente com maior velocidade e menor atenção ao redor, decretando que nada mais será como antes.


E uma resposta ocupa todos os espaços da minha emoção. De repente, estou na livraria, há uma estante ocupada por diversos livros que conheço bem.

Fico então surpresa ao ver “As Aventuras de Tibicuera”, do Érico Verissimo, que a professora quis que lêssemos na terceira série; e meu coração acelera ao reencontrar Amor em Amsterdã, de Nicolas Freeling, cuja leitura em parceria deu início a um romance que venceu o tempo.

Olho para o lado, e ali está Milho pra Galinha Mariquinha, da Marisa Raja Gabaglia, leitura sugerida pela irmã na minha adolescência; e não acredito ao avistar, um ao lado do outro, Horizonte Perdido, de James Hilton, e o clássico 1984, de George Orwell.

Em outra prateleira, o presente que recebi do primo e amigo secreto em um dos melhores natais da família: Quase Tudo, da Danuza Leão; e Mudanças Acontecem, de Robert Holden, meu carinho oferecido ao irmão enfermo.

Muitos outros livros estão lá: A Experiência da Mesa, de Devi Titus, adorável presente de uma leitora; A Era do Ressentimento, do Luiz Felipe Pondé, que me causou certo desconforto instrutivo; Resistência, de Agnès Humbert, com dedicatória do sobrinho; Guaíba – Outra Margem, do Leandro André, que tive a sorte de acompanhar bem de pertinho.

Por tudo isso e muito mais, vou dar um livro de presente ao meu amigo secreto.

Cristina André

[email protected]

Publicado em 1/12/2018.

Últimas Notícias

BM começa o ano com forte atuação em Guaíba e Barra do Ribeiro.

Fepam desiste de analisar a água das praias Alegria e Florida em Guaíba.

Prefeitura de Guaíba explica por que recusou recursos do Programa Criança Feliz. Confira na versão impressa.

Publicidade

Institucional | Links | Assine | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2019 Gazeta Centro-Sul - Todos os direitos reservados